Esporte

Djokovic se rende ao bom momento de Murray: "É o número 1 merecidamente"

11/11/2016 16h10

Londres, 11 nov (EFE).- Derrubado do posto de número 1 do mundo na última segunda-feira após 122 semanas seguidas no topo, o sérvio Novak Djokovic reconheceu nesta sexta que o britânico Andy Murray mereceu chegar à liderança do ranking da ATP e deixá-lo em segundo lugar.

"Só tenho palavras de elogio para Andy pelo que conseguiu neste último ano. Começou pelo saibro, onde foi muito consistente: jogou três finais e ganhou em Roma. E depois se impôs em todos os torneios sobre grama e nos Jogos Olímpicos. É o número 1 merecidamente. Sem dúvida nenhuma, foi o melhor tenista dos últimos seis meses", declarou 'Nole na O2 Arena, em Londres, onde serão disputadas as Finais da ATP a partir do próximo domingo.

"Olhando suas qualidades e determinação, é mais que capaz de continuar neste nível durante muito tempo", completou o sérvio, que, no total, já permaneceu na liderança da lista por 223 semanas.

Djokovic teve um primeiro semestre praticamente irretocável, com os títulos do Aberto da Austrália, do ATP 500 de Doha e dos Masters 1000 de Indian Wells, Miami, Madri e Toronto, além da conquista inédita em Roland Garros. A partir de agosto, porém, caiu de rendimento, o que permitiu que o escocês o ultrapassasse.

"Tive altos e baixos, como acontece com todo mundo, mas acredito que tive alguns meses muito bons. Talvez não estive ao nível de há 12 ou 15 meses, mas neste esporte não se pode ganhar sempre", resignou-se o agora número 2 do mundo, que admitiu ter caído de rendimento após o triunfo no saibro parisiense.

"Talvez o nível de sucesso que tive nos últimos anos seja o que ficou para as pessoas. Após Roland Garros, não me recuperei totalmente e não pude competir tão bem. Foi uma façanha incrível, claro, mas precisei de tempo para voltar a competir", analisou.

"Joguei bem o US Open e venci em Toronto, mas depois não pude ir bem nos Jogos Olímpicos (foi eliminado na estreia). Em linhas gerais, estou orgulhoso do meu ano, e agora chego a Londres para coroar a temporada da melhor forma possível", completou.

'Nole' venceu as quatro últimas edições das Finais da ATP, todas em Londres, e ainda foi campeão em Xangai em 2008. "Tive quatro anos fantásticos, e confio posso continuar tendo bons resultados", declarou.

Neste ano, Djokovic está no Grupo Ivan Lendl, junto com o canadense Milos Raonic e os estreantes Gael Monfils, da França, e Dominic Thiem, da Áustria. O retrospecto é amplamente favorável ao sérvio, que tem 23 vitórias e nenhuma derrota contra os três adversários.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo