Esporte

Messi resolve, Barça vence Celtic e garante classificação como líder

23/11/2016 19h57

Glasgow, 23 nov (EFE).- A atuação não foi tão empolgante quanto a de 13 de setembro, quando goleou o mesmo adversário no Camp Nou, mas o Barcelona jogou suficientemente bem, venceu o Celtic por 2 a 0 nesta quarta-feira, em Glasgow, e confirmou a classificação para as oitavas de final da Liga dos Campeões com a liderança do grupo C, ao mesmo tempo em que eliminou o time escocês.

Quem resolveu a partida para o Barça foi Lionel Messi, que marcou os dois gols, um em cada tempo, com a participação de cada um dos outros integrantes do badalado trio de ataque. No primeiro, aproveitou ótimo passe de Neymar, e no segundo, converteu pênalti sofrido por Luis Suárez.

Apesar da assistência, Neymar ficou mais marcado por um aspecto negativo: o desentendimento com o lateral-direito Lustig, o que por pouco não provocou a expulsão do ex-jogador do Santos.

Ainda sobre jogadores brasileiros, o zagueiro Marlon, que está no Barça por empréstimo do Fluminense, fez sua estreia na Champions, entrando no lugar de Piqué na etapa final. Já o meia-atacante Rafinha permaneceu no banco de reservas durante os 90 minutos.

O resultado no Celtic Park levou o atual campeão bicampeão espanhol aos 12 pontos, quatro a mais que o segundo colocado da chave, o Manchester City. A equipe do técnico Josep Guardiola empatou com o Borussia Mönchengladbach e garantiu vaga no mata-mata, mas deixou de ter chances de ser líder por conta do 1 a 1 na Alemanha.

Desta forma, o duelo entre Barça e Gladbach do próximo dia 6, no Camp Nou, servirá apenas para cumprir tabela, já que o time alemão, com a terceira posição assegurada, vai para a fase de 16 avos de final da Liga Europa. O Celtic, eliminado, visitará no mesmo dia o City em outro confronto que não mudará a ordem da classificação.

O Barcelona teve apenas um baixa entre os jogadores considerados titulares, a do meia Iniesta, que machucou o joelho direito há um mês e só voltará a jogar no ano que vem. No Celtic, o principal desfalque foi o zagueiro Boyata, que no fim de semana atuou pela primeira vez em sete meses, mas desta vez foi preservado pelo técnico Brendan Rodgers, ex-Liverpool.

Jogando em casa, o atual pentacampeão escocês não permitiu o massacre visto no primeiro jogo, em que o time catalão goleou por 7 a 0. Mesmo assim, quem buscou mais o ataque desde o início foi o Barça, que assustou pela primeira vez aos nove minutos de bola rolando. Messi tabelou com Neymar e chutou prensado, Suárez brigou pela sobre e levou a pior contra a defesa.

Neymar e Messi organizaram mais uma trama aos 15, quando o camisa 10 recebeu do brasileiro, tabelou com Alba e finalizou cruzado. O goleiro apenas observou, e a bola saiu à esquerda do alvo.

O Celtic até frequentava o campo de ataque, mas o Barcelona era mais efetivo, e o gol parecia questão de tempo. Aos 19, Alba levantou mais uma, mas Messi chegou a atrasado e não pegou bem na bola. Dois minutos depois, Neymar bateu escanteio da esquerda, André Gomes resvalou de calcanhar, e o goleiro Gordon defendeu no susto.

A insistência dos 'Blaugranas' enfim foi premiada aos 23 minutos, quando Messi abriu o placar. Neymar foi acionado na esquerda, perto da área, e enfiou por elevação na medida para o argentino, que pegou de primeira e acertou o cantinho direito, fazendo 1 a 0.

Após o gol, o ritmo da partida caiu, principalmente porque os visitantes diminuíram a intensidade. Um novo bom lance de ataque aconteceu apenas aos 36 minutos, a favor da equipe anfitriã. Dembele recebeu na esquerda, tirou da marcação e bateu colocado. Ter Stegen defendeu em dois tempos.

A tentativa do adversário acordou o Barça, que por pouco não ampliou aos 40. Messi levantou da esquerda na medida para Suárez, que, sozinho, cabeceou no contrapé, mas Gordon se recuperou e operou um milagre.

A segunda etapa começou com um erro de passe de Sergi Roberto na defesa, logo aos três minutos. McGregor aproveitou o presente, entortou Mascherano e arrematou colocado de fora da área, mas pôs pouca força e praticamente recuou para Ter Stegen, que segurou. Em seguida, aos sete, Forrest cruzou para Dembele, que cabeceou fraco e facilitou a vida do arqueiro adversário.

No melhor momento do Celtic na partida, a torcida recebeu um balde de água gelada. Aos nove, a bola foi de pé em pé até André Gomes tocar para Suárez, que foi agarrado por Izaguirre e caiu. O árbitro marcou pênalti, Messi cobrou forte, praticamente no meio do gol, e aumentou.

O pentacampeão europeu já não explorava todo o seu potencial, mas mesmo assim controlava o jogo. Messi quase completou um "triplete" aos 22 minutos, recebendo de Neymar, mas no chute cruzado a bola passou rente à trave direita, para fora.

A partir de então, o que ganhou destaque não foram as ações ofensivas, mas as desavenças entre Neymar e Lustig. Os dois jogadores se desentederam mais de uma vez e receberam cartão amarelo. O brasileiro ainda correu risco de ver o vermelho, já que acertou o lateral adversário por trás e escapou de uma nova punição. Sob muitas vaias, acabou substituído por Arda Turan, aos 31.

Ainda houve uma última chance para o bicampeão espanhol aumentar a diferença, aos 38 minutos, quando Messi colocou Suárez na cara do gol, mas, desequilibrado, 'Luisito' carimbou a trave.

Discreto, Marlon pouco apareceu, mas quase se meteu em uma enrascada aos 47. Dembele costurou pela esquerda, invadiu a área e escorregou, reclamando de um toque do jovem defensor, que não houve. Atento, o árbitro deixou seguir e segundos depois apitou o final da partida.

No Borussia Park, a partida começou pouco empolgante, mas foi melhorando até o Gladbach fazer 1 a 0, aos 23 minutos. Stindl puxou contra-ataque pela esquerda e tocou na meia-lua até Raffael, que dominou e chutou forte para abrir o placar.

O City reagiu, sobreviveu a novos contragolpes do Borussia e deixou tudo igual no apagar das luzes do primeiro tempo. Aos 45, na última jogada antes do intervalo, De Bruyne cruzou por baixo, David Silva apareceu bem na primeira trave e completou para a rede.

A situação da equipe anfitriã se complicou no comecinho do segundo tempo, logo aos cinco minutos. Stindl parou a investida de Otamendi com falta proposital, viu o segundo cartão amarelo e foi expulso. Contudo, a desvantagem numérica durou apenas 12 minutos, até Fernandinho também receber o vermelho.

A partida ficou mais aberta no dez contra dez, e o City fez de tudo para desempatar, mas parou em grande atuação do goleiro Sömmer, que fez ao menos cinco grandes defesas.



Ficha técnica:.

Celtic: Gordon; Lustig, Simunovic, Sviatchenko e Izaguirre; Armstrong e Brown; McGregor (Roberts), Rogic (Bitton) e Sinclair (Forrest); Dembele. Técnico: Brendan Rodgers.

Barcelona: Ter Stegen; Sergi Roberto, Piqué (Marlon), Mascherano e Alba (Digne); Busquets, Rakitic e André Gomes; Messi, Neymar (Arda Turan) e Luis Suárez. Técnico: Luis Enrique.

Árbitro: Daniele Orsato (Itália), auxiliado pelos compatriotas Gianluca Cariolato e Lorenzo Manganelli.

Cartões amarelos: Sviatchenko, Lustig e Armstrong (Celtic); Sergi Roberto, Neymar e Rakitic (Barcelona).

Gols: Messi (2x) (Barcelona).

Estádio: Celtic Park, em Glasgow (Escócia).

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo