Esporte

Novos casos aumentam proporção do escândalo sexual no futebol inglês

25/11/2016 14h28

Londres, 25 nov (EFE).- O número de ex-jogadores que revelaram terem sofrido abusos sexuais durante a carreira aumentou nesta sexta-feira na Inglaterra, com os relatos de Chris Unsworth e Jason Dunford, que se juntaram a Paul Stewart, Steve Walters, Andy Woodward, David White, aumentando o impacto do escândalo no país.

Ao todo, já são sete antigos futebolistas que se declararam vítimas de estupro, pois um deles preferiu não revelar a identidade. Os que haviam contado os casos anteriormente, apontaram um ex-treinador como responsável pelo ataque.

Chris Unsworth, de 44 anos, formado nas divisões de base do Manchester City e do Crewe Alexandra, relatou que foi violentado "entre 50 e 100 vezes" e que a primeira vez que foi abusado pelo técnico "tinha só nove anos".

"Estava em casa com minha namorada vendo pela televisão a revelação de Andy (primeiro a admitir os estupros) e não disse nada. Joguei jovem com ele quando jovem e o conhecia muito. Quando pensei sobre aquilo, disse a mim mesmo que deveria contar e ajudar as pessoas. Nunca tinha contado a ninguém", afirmou Unsworth, que deixou o futebol aos 16 anos, à "BBC".

O ex-jogador e Dunford apontaram que o responsável por violentá-los foi Barry Bennell, antigo funcionário do Crewe Alexandra, que mantinha vínculo com o Manchester City.

O acusado mudou o nome para Richard Jones, tem 62 anos. Há quase duas décadas, ele foi condenado pela justiça a nove anos de prisão após admitir 23 acusações de abuso sexual contra meninos de 9 a 15 anos de idade.

Há dois anos, Bennell foi condenado a dois anos por abusar de uma criança de 12, em Macclesfield. Apesar disso, o ex-funcionário do clube inglês está em liberdade.

"Lembro do dia que Bennell começou a tocar em mim e eu pedi que não o fizesse. Depois disso, ele começou a me atormentar, dizendo que eu jogaria a cada domingo, depois ficaria no banco sem atuar e, em seguida, fora do time", disse Dunford.

Andy Woodward foi o primeiro a reconhecer ter sofrido os abusos quando iniciava a carreira. Quando tinha 11 anos, ele jogava no time do bairro em que vivia, e o então treinador e olheiro Bennell, o convidou a jogar no Crewe.

"Só queria jogar futebol e vi o clube como o início de um sonho. Só que eram os meninos de natureza suave e os mais frágeis que Bennell buscava. Eu era uma criança que achava que ele ajudaria no começo do futebol", afirmou o denunciante.

O ex-jogador desencadeou uma série de outros relatos como o de Steve Walters, que foi o mais jovem a defender o Crewe, com 16 anos e 119 dias.

Outros casos foram registrados quando Bennell trabalhava no Whitehill FC, uma equipe amadora de Manchester.

Ontem, Paul Stewart, um dos que revelou ter sido abusado, afirmou que o número de casos pode superar a cem, comparando o escândalo com o de Jimmy Savile, apresentador da "BBC", já morto, que abusou de mais de 200 crianças e adultos durante mais de 50 anos.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo