Topo

Esporte

Prandelli diz que falta de reforços e respaldo provocaram saída do Valencia

31/12/2016 11h19

(Corrige primeiro parágrafo).

Valência (Espanha), 31 dez (EFE).- O italiano Cesare Prandelli, agora ex-técnico do Valencia, falou neste sábado sobre os motivos que o fizeram pedir demissão, criticando a direção do clube por causa da atitude fechada para público e imprensa.

"Queria abrir o centro de treinamento à torcida, e me disseram que não era possível. Tentei falar com a imprensa e soube que havia uma lista negra. Não tínhamos porque nos fechar, já que isso nos prejudica", afirmou o ex-comandante da 'Azzurra', que concedeu entrevista coletiva em um hotel de Valência.

Prandelli confirmou que esperava que a equipe, 17ª colocada no Campeonato Espanhol, contasse com reforços em janeiro, quando é aberta a janela de transferências europeia, e que, ele mesmo, havia se proposto a ajudar a convencer jogadores, e que quatro deles estavam bem proximos de fechar, mas nenhum veio.

"Prometeram para mim que o time estaria mais forte. Peter Lim (proprietário do clube), estava de acordo e disse a nosso diretor-esportivo (Jesús García Pitarch), que, por enquanto, concentraríamos todos os esforços em Simone Zaza", contou o técnico, em referência ao ex-jogador Juventus, que está no West Ham.

Prandelli reafirmou algumas vez que não estava trabalhando nas condições oferecidas inicialmente e que se sentia sem respaldo, por isso, apresentou o pedido de demissão, depois de pouco mais de dois meses na função.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte