Esporte

Atlético de Madrid joga com regulamento e vai de novo às quartas da Champions

15/03/2017 18h48

Madri, 15 mar (EFE).- Mesmo sem encantar o torcedor que foi ao estádio Vicente Calderón, o Atlético de Madrid se classificou para as quartas de final da Liga dos Campeões pela quarta temporada seguida ao empatar com o Bayer Leverkusen em 0 a 0 nesta quarta-feira.

Depois de ter vencido o jogo de ida por 4 a 2 na Alemanha, há três semanas, o time do técnico Diego Simeone apenas administrou a vantagem para se colocar mais uma vez entre os oito melhores da Europa. Os 'Colchoneros' foram vice-campeões em 2014 e no ano passado, e caíram justamente nas quartas em 2015, sempre diante do rival Real Madrid.

O ritmo da partida na capital espanhola variou bastante, mas nos momentos de inspiração dos setores ofensivos, os goleiros Leno, do Leverkusen, e Oblak, pelo 'Atleti', fecharam o gol e mantiveram o placar em branco.

Em busca do título inédito, a equipe 'rojiblanca' espera agora o sorteio dos confrontos das quartas, que acontecerá na próxima sexta-feira na sede da Uefa, na cidade suíça de Nyon.

O lateral-esquerdo Filipe Luís, da seleção brasileira, desfalcou o Atlético por ter cumprido suspensão. Com isso, o zagueiro Lucas Hernández foi deslocado para atuar no setor. O meia Gabi também ficou fora da partida por acúmulo de cartões amarelos, enquanto os volantes Tiago e Augusto Fernández estão lesionados.

No Leverkusen, as mudanças em relação ao jogo de ida começaram no comando da equipe. Roger Schmidt foi demitido após a goleada sofrida diante do Borussia Dortmund por 6 a 2 e deu lugar a Tayfun Korkut.

A dupla de zaga titular, formada por Toprak e Tah, está machucada, e o experiente volante Lars Bender, que poderia ter sido recuado para atuar no setor, também foi baixar por um problema físico. Dessa forma, os defensores foram Jedvaj e Dragovic.

Obrigado a fazer pelo menos três gols para buscar a classificação, o time visitante teve a primeira chance de gol logo aos quatro minutos de partida. Volland dominou na meia-lua, fez o giro para cima da marcação e buscou o canto esquerdo, mas bateu rente à trave.

Rapidamente, os 'Colchoneros' trataram de manter a bola nos pés para frear o ímpeto do adversário. Aos 11 minutos, Koke bateu escanteio e Giménez cabeceou nas mãos do goleiro Leno. Em seguida, aos 14, Ferreira-Carrasco foi acionado na área, cortou e chutou travado.

Válvula de escape do Leverkusen pela esquerda, o lateral Wendell, ex-Grêmio, mais uma vez deu opção no ataque em diversas ocasiões. Aos 20, ele serviu Chicharito, que ajeitou e finalizou por cima com o pé esquerdo. Pouco depois, aos 26, Baumgartlinger arriscou de longe e isolou.

Afobado, o representante alemão não conseguia sufocar como gostaria e ainda corria riscos. Aos 38 minutos, Godín descolou ótimo lançamento por baixo para Griezmann, que ajeitou para Correa. O argentino ficou cara a cara, mas parou em grande intervenção de Leno. Um minuto depois, o arqueiro ainda parou uma tentativa a queima roupa de Koke.

No primeiro lance da etapa final, com cerca de dez segundos, Saúl foi lançado do campo de defesa e ajeitou para Griezmann, que até tirou do goleiro, mas exagerou e cedeu tiro de meta. O Atlético continuou atacando e, aos cinco, Leno teve de sair da área para cortar a esticada para Ferreira-Carrasco.

O gol da equipe 'rojiblanca' parecia maduro, e o Leverkusen não esboçava reação. Aos dez minutos, Partey puxou contra-ataque e tocou para Correa, que driblou dois e chutou à esquerda. Aos 12, Ferreira-Carrasco fez o passe por cima, Griezmann encobriu Leno e quase marcou um golaço, mas viu a bola ir para fora.

No entanto, o ritmo foi caindo aos poucos. O 'Atleti' colocou o pé no freio, e o Bayer até poderia ter aproveitado, mas perdeu três chances em sequência, aos 23. Brandt ficou de frente para Oblak e carimbou o goleiro, que ainda parou Volland no rebote. Na "tréplica", Chicharito acertou a zaga.

Depois de algumas defesas importantes de Leno, foi a vez de Oblak se destacar. Aos 34 minutos, Bailey, que entrara instantes antes, soltou a bomba de fora da área, e o esloveno espalmou para o lado. Na sequência, aos 35, ele evitou o gol de Kampl depois de escanteio curto.

Leno então voltou a aparecer aos 40, em arremate de Saúl da entrada da área. Quem tentou por último foi o Leverkusen, aos 44, mas o placar ficou mesmo em branco. Bellarabi fez boa jogada individual e cruzou para Bailey, que cabeceou para fora.



Ficha técnica:.

Atlético de Madrid: Oblak; Vrsaljko, Giménez, Godín e Hernández; Juanfran, Partey, Saúl e Ferreira-Carrasco (Savic); Correa (Gaitán) e Griezmann. Técnico: Diego Simeone.

Bayer Leverkusen: Leno; Hilbert, Jedvaj, Dragovic e Wendell; Baumgartlinger, Kampl, Bellarabi e Brandt; Volland (Aránguiz) e Chicharito Hernández (Mehmedi). Técnico: Tayfun Korkut.

Árbitro: Sergei Karasev (Rússia), auxiliado pelos compatriotas Anton Averianov e Tikhon Kalugin.

Cartões amarelos: Giménez e Gaitán (Atlético de Madrid); Jedvaj e Baumgartlinger (Bayer Leverkusen).

Estádio: Vicente Calderón, em Madri (Espanha).

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo