Esporte

Argentina e Chile reeditam finais da Copa América em confronto decisivo

22/03/2017 15h21

Buenos Aires, 22 mar (EFE).- Finalistas das duas últimas edições da Copa América, Argentina e Chile se reencontrarão nesta quinta-feira no estádio Monumental de Núñez, em Buenos Aires, em jogo decisivo pela 13ª rodada das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo de 2018.

Se nas decisões continentais em 2015 e 2016 'La Roja' levou e a melhor nos pênaltis, na classificatória, a vantagem de Arturo Vidal, Alexis Sánchez e companhia também é pequena, de apenas um ponto. O time comandado por Juan Antonio Pizzi ocupa a quarta posição, a última a levar ao Mundial, com 20 pontos, um a mais que a 'Albiceleste', que é quinta colocada e iria para a repescagem contra o representante da Oceania caso a disputa terminasse hoje.

As duas seleções vêm tendo altos e baixos durante a campanha. A bicampeã mundial vinha de um jejum de quatro partidas sem vitória, mas quebrou o jejum batendo a Colômbia por 3 a 0 em novembro, enquanto a atual bicampeã continental vem de somar sete pontos nos últimos nove disputados.

Na Argentina, a expectativa pela partida entre os torcedores é grande, e os ingressos já estão esgotados há um mês. Isso porque, além do clima de revanche pelas derrotas nas edições recentes da Copa América, a equipe pode inclusive cair para o sexto lugar caso tropece.

"A rivalidade com o Chile, que sempre existiu, terá de se reduzida a este jogo, que é importante por se tratar de um adversário direto. Só devemos pensar que vamos ultrapassá-los caso vençamos", declarou o técnico Edgardo Bauza.

Bauza não poderá contar com o zagueiro Ramiro Funes Mori, que será substituído pelo lateral-esquerdo Emmanuel Mas, com Marcos Rojo sendo deslocado para a zaga. Já Sergio Agüero entrará na linha de frente em lugar de Paulo Dybala, machucado.

No Chile, a lista de desfalques é maior. Vidal cumprirá suspensão, enquanto o zagueiro Gary Medel e o meio-campista Marcelo Díaz estão contundidos. Além disso, Sánchez vem sentindo dores no tornozelo e é dúvida, podendo ceder a vaga a Esteban Paredes.

"A importância de jogar contra a Argentina é a mesma de todas as partidas que disputamos e que ainda vamos disputar. O especial é que nunca a vencemos na Argentina e temos uma boa oportunidade para conseguir isso. Podemos competir de igual para igual", destacou Pizzi.



Prováveis escalações:

Argentina: Romero; Mercado, Otamendi, Rojo e Mas; Biglia e Mascherano; Agüero, Messi e Di María; Higuaín. Técnico: Edgardo Bauza.

Chile: Bravo; Isla, Medel (ou Mena), Jara e Beausejour; Silva, Aránguiz, Hernández (ou Fuenzalida) e Valdivia; Vargas e Sánchez (Paredes). Técnico: Juan Antonio Pizzi.

Árbitro: Sandro Meira Ricci, auxiliado por Emerson Pereira de Carvalho e Marcelo van Gasse.

Estádio: Monumental de Núñez, em Buenos Aires.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo