Esporte

CR7 marca em cidade natal, mas Suécia vence Portugal de virada em amistoso

28/03/2017 17h51

Redação Central, 28 mar (EFE).- Em dia de homenagem para Cristiano Ronaldo, o craque não decepcionou, mas acabou vendo a Suécia colocar água no chopp da festa e vencer Portugal de virada, por 3 a 2, em amistoso disputado nesta terça-feira em Funchal, cidade natal do artilheiro português.

Na primeira partida com a camisa da seleção no local onde nasceu e deu os primeiros passos no futebol, Cristiano abriu o placar aos 17 minutos do primeiro tempo e depois iniciou a jogada que terminou em gol contra de Granqvist aos 34. Mas a Suécia voltou para a etapa final decidida a estragar a comemoração e conseguiu a virada.

Claesson diminuiu aos 13 minutos, com o atacante do Real Madrid ainda em campo, e empatou aos 30, depois de o homenageado já ter sido substituído. No último lance da partida, João Cancelo tentou cortar um cruzamento, mas marcou contra e deu a vitória aos suecos.

Empolgada com o apoio da torcida na homenagem a Cristiano, a selação portuguesa começou o jogo pressionando. O primeiro lance de perigo começou nos pés do dono da festa. Cristiano fez boa jogada pela esquerda do campo aos 7 minutos. A bola sobrou para Renato Sanches, que chutou de longe e assustou o goleiro.

Os visitantes não demoraram a responder. Três minutos depois, aos 10, Claesson também arriscou de fora da área, obrigando o goleiro Marafona a fazer boa defesa para salvar Portugal.

O craque português quase serviu de garçom na sequência. Aos 13 minutos, Cristiano apareceu livre pela direita do campo e cruzou para Sanches, que não conseguiu completar para o gol.

Cristiano então decidiu fazer o que sabe: balançar as redes. Aos 17, o atacante do Real Madrid recebeu belo passe de Gelson Martins e pegou de primeira para abrir o placar em sua cidade natal.

Marafona evitou o empate três minutos depois, aos 20. Nyman recebeu livre na grande área e tentou tocar na saída do goleiro, mas acabou tirando demais do adversário e chutando para fora.

Mas o jogo tinha dono. Empolgado por estar jogando em casa pela primeira vez com a camisa de Portugal, Cristiano quase ampliou aos 26, quando completou cruzamento de primeira e obrigou o goleiro Johnsson a operar um milagre no Estádio dos Barreiros.

Se Johnsson evitou o segundo gol de Portugal, Granqvist não teve tanta sorte. Aos 34 minutos, Ronaldo caiu mais uma vez pela direita e tocou para Gerson Martins, que cruzou a bola na área. O zagueiro sueco tentou cortar e marcou contra o próprio gol.

Para o segundo tempo, o técnico de Portugal, Fernando Santos, começou a fazer testes e promoveu quatro mudanças na equipe. O que não mudou, porém, foi a empolgação de Cristiano. Assim como na etapa inicial, o atacante começou os 45 minutos finais com tudo e criando muito perigo para o gol da Suécia.

O primeiro lance ocorreu aos 7, em cobrança de falta. Cristiano soltou uma bomba da intermediária e a bola passou perto do gol.

Os visitantes, porém, voltaram do intervalo dispostos a estragar a festa do atacante do Real Madrid e diminuíram a vantagem de Portugal aos 13. Claesson, um dos poucos a se salvar da atuação ruim da equipe no primeiro tempo, aproveitou rebote de Marafona e anotou.

O gol também marcou o fim da participação de Cristiano na partida. Santos decidiu substituir o atacante, aplaudido de pé pela torcida que lotou o Estádio de Barreiros, por Quaresma.

O veterano meia-atacante incorporou o espírito do homenageado e já entrou em campo criando perigo para a Suécia. Aos 20 minutos, Quaresma cruzou de trivela na medida para Éder, autor do gol do título da Eurocopa contra a França, que cabeceou e quase marcou o terceiro de Portugal na partida.

Portugal, no entanto, diminuiu demais o ritmo depois da saída de Cristiano, e a Suécia aproveitou para deixar tudo igual. Aos 30 minutos, Claesson aproveitou escanteio e empatou o jogo.

O jogo ficou aberto depois do empate, mas as duas equipes desperdiçaram as chances de vencer a partida. Aos 35, Quaresma encontrou mais uma vez Éder na área em condições de marcar, mas a zaga sueca conseguiu fazer o corte. Já perto do fim, aos 44, Claesson viu Thelin livre e cruzou na medida para o companheiro, que perdeu grande oportunidade de virar o jogo.

Quando o jogo parecia decidido, a Suécia contou com a sorte para conseguir a virada improvável. Aos 46 minutos, no último lance da partida, João Cancelo errou ao tentar cortar cruzamento e acabou marcando contra o gol defendido por Marafona.



Ficha Técnica:.

Portugal: Marafona; Cancelo, Alves, Neto e Eliseu (Semedo); Pereira (Carvalho), Moutinho (Pizzi) e Sanches; Martins (Gomes), Ronaldo (Quaresma) e Silva (Éder). Técnico: Fernando Santos.

Suécia: Johnsson; Krafth (Lustig), Granqvist (Janssson), Helander (Hiljemark( e Hult; Sebastian Larsson, Johansson, Claesson e Sam Larsson (Durmaz); Nyman (Berg) e Thelin. Técnico: Janne Anderson.

Árbitro: Clément Turpin (França), auxiliado pelos compatriotas Nicolas Danos e Cyril Gringore.

Cartões Amarelos: Rugani (Itália).

Gols: Ronaldo e Granqvist (contra) (Portugal): Claesson (2) e Cancelo (contra) (Suécia).

Estádio dos Barreiros, em Funchal (Portugal).

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo