Esporte

Grêmio abre frente e permite reação, mas vence Iquique em Porto Alegre

11/04/2017 23h53

Porto Alegre, 11 abr (EFE).- Com um primeiro tempo de almanaque e últimos 45 para serem esquecidos ou explorados pelo técnico Renato Gaúcho para evolução do time, o Grêmio sofreu mais do que precisava, mas venceu o Deportes Iquique por 3 a 2 nesta terça-feira, na Arena, e se isolou na liderança do grupo 8 da Taça Libertadores.

Antes do intervalo, o Tricolor passeou e abriu 3 a 0, com dois de Luan e um de Bolaños, em pênalti sofrido por Pedro Rocha. Depois, porém, o Iquique "achou" dois gols, com Caroca e Dávila, e deixou os torcedores apreensivos na capital gaúcha, mas não teve força nem competência para arrancar o empate.

Com duas vitórias, o Imortal, que estreou batendo o Zamora, foi a seis pontos. O segundo colocado é o Guaraní, do Paraguai, adversário na quinta-feira dos venezuelanos, que ainda não pontuaram. O mesmo acontece com a equipe chilena.

O bicampeão da Libertadores voltará a campo pela competição na quinta-feira da semana que vem, em Assunção, onde fará confronto direto com o Guaraní pela ponta da tabela.

O Grêmio não pôde contar com o zagueiro Geromel, que sentiu dores musculares e já não havia treinado na segunda-feira. Por outro lado, o meia Maicon se recuperou de lesão mais rapidamente do que se esperava e retornou ao time titular.

No Iquique, o técnico Jaime Vera, que na véspera declarou que seria difícil voltar de Porto Alegre com uma vitória, abriu mão do esquema 4-3-3 e foi mais cauteloso ao trocar o atacante Bielkiewicz pelo meio-campista Reynero.

O Tricolor começou pressionando e teve a primeira chance aos cinco minutos de partida. A bola foi de pé em pé no ataque gremista até Ramiro rolar para a direita. Léo Moura deixou passar, Pedro Rocha finalizou e já colocou o goleiro Cortéz para trabalhar.

A pressão inicial dos donos da casa foi intensa, e a rede balançou aos 15 minutos. Bolanõs acionou Luan, que, com espaço, ajeitou e chutou com efeito, encobrindo Cortéz para abrir o placar.

O começo de jogo foi todo de 'Luanel Messi', como o camisa 7 é chamado pela torcida tricolor, e o campeão olímpico no ano passado aumentou a vantagem aos 23. Léo Moura enxergou a passagem do atacante e tocou para que ele tirasse do goleiro com categoria e marcasse o segundo.

Nada fazia o bicampeão da América diminuir o ritmo. Ou melhor, Guerrero até conseguiu, mas com falta dentro da área em cima de Pedro Rocha. Bolaños cobrou o pênalti em um canto, Cortéz caiu para o outro, a diferença no placar ficou ainda maior, aos 28 minutos.

O Iquique não esboçava a menor reação, e a diferença só não ficava maior por erros de execução. Aos 39, Edílson adiantou para Léo Moura, que buscou Luan na área, mas o cruzamento não foi dos melhores.

Os visitantes voltaram do vestiário com duas alterações: Riquero e Bielkiewecz entraram, enquanto Reynero e Torres saíram. As trocas deixaram o time chileno mais solto, o que foi mostrado aos oito minutos. Riquero recebeu de Dávila e arriscou de longe, mas não assustou.

Sem a mesma intensidade e a mesma vibração do primeiro tempo, o Imortal sofreu um gol aos 15 minutos. Bustamante bateu escanteio da direita, Caroca subiu bem e cabeceou para diminuir.

O gol aparentemente tinha acordado o Tricolor, e Rafael Thyere curtiu uma de meia aos 17. O zagueiro foi da intermediária de defesa até a área de ataque, mas não conseguiu arrematar. Pedro Rocha ainda tentou, limpou a marcação, mas bateu pela linha de fundo.

O que era para ser uma vitória fácil, talvez por goleada, ganhou contornos de grama aos 22, quando o Iquique reduziu ainda mais a diferença. A defesa deu espaço, Dávila tabelou com Ramos e chutou tirando de Marcelo Grohe.

A parte final do jogo teve um festival de lances mais ríspidos, e o árbitro pouco guardou o cartão amarelo no bolso. Mesmo melhor tecnicamente, o Tricolor cometia erros que comprometiam e deixavam a torcida mais nervosa. Aos 32, Fernandinho, que substituíra Maicon, fez fila na defesa da equipe chilena, mas arrematou muito mal.

Fernandinho voltou a aparecer aos 38 minutos, com um bom passe para Luan. Discreto na segunda etapa, o atacante chutou no canto, mas o goleiro salvou.

Nos minutos finais, a equipe da casa se fechou na defesa, mas não chegou a ser ameaçada. Na base do chutão e de algumas trocas de passe, o time freou o adversário e segurou o resultado.



Ficha técnica:.

Grêmio: Marcelo Grohe; Edílson, Rafael Thyere, Kannemann, Marcelo Oliveira; Ramiro e Maicon (Fernandinho); Léo Moura (Michel), Bolaños (Barrios) e Pedro Rocha; Luan. Técnico: Renato Gaúcho.

Deportes Iquique: Cortéz; Guerrero, Lópes, Zenteno e Charles; Caroca, Dávila, Reynero (Riquero) e Bustamante; Torres (Bielkiewecz) e Ramos. Técnico: Jaime Vera.

Árbitro: Esteban Ostojich (Uruguai), auxiliado pelos compatriotas Mauricio Espinosa e Michel Nievas.

Cartões amarelos: Marcelo Oliveira, Bolaños e Ramiro (Grêmio); Lópes, Zenteno, Caroca, Charles e Bustamante (Deportes Iquique).

Gols: Luan (2x) e Bolaños (Grêmio); Caroca e Dávila (Deportes Iquique).

Estádio: Arena do Grêmio, em Porto Alegre.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo