Esporte

Chape é goleada na volta a Medellín e fica sem o título da Recopa

10/05/2017 23h40

Medellín (Colômbia), 10 mai (EFE).- A Chapecoense teve a chance de conquistar um título pela segunda vez em quatro dias, após ter obtido o bicampeonato catarinense no último domingo, mas perdeu para o Atlético Nacional por 4 a 1 no retorno a Medellín e ficou com o vice da Recopa Sul-Americana.

A Chape esteve de volta à Colômbia mais de cinco meses após a queda do avião a LaMia, que deixou 71 mortos, entre eles jogadores e integrantes da comissão técnica, além de convidados e profissionais de imprensa, na véspera do primeiro jogo da final da Copa Sul-Americana do ano passado.

Consagrada campeã continental pela Conmebol depois da tragédia, a equipe de Santa Catarina disputou a Recopa contra o Nacional, que faturou a última Taça Libertadores, e até venceu a partida de ida, em 4 de abril, na Arena Condá, por 2 a 1. Entretanto, nesta quarta, os 'Verdolagas' levaram a melhor, com dois gols de Moreno e dois de Ibargüen, e ficaram com o troféu. Tulio de Melo marcou o de honra dos visitantes.

O técnico Vagner Mancini teve dois desfalques de última hora no bicampeão estadual, que no domingo deu a volta olímpica mesmo perdendo para o Avaí por 1 a 0: o zagueiro Luiz Otávio e o atacante Rossi, que foram expulsos na derrota para o Nacional-URU na semana passada, pela Libertadores. Segundo a diretoria do clube catarinense, a Conmebol havia informado que a suspensão dos dois deveria ser cumprida contra o Lanús, pelo mesmo torneio, mas depois voltou atrás. No Nacional, os desfalques foram o zagueiro Aguilar e o meio-campista Uribe.

Antes de a bola rolar, Jakson Follman, Alan Ruschel e Neto, os três jogadores que sobreviveram à tragédia de 29 de novembro, pisaram no gramado e foram ovacionados pelo público local. A torcida local montou um mosaico com a frase "Campeón del continente", em homenagem ao adversário pelo título da Sul-Americana.

Logo no primeiro minuto de partida, os 'Verdolagas' abriram o placar. Moreno teve liberdade e chutou sem muita força, mas Artur Moraes aceitou. A bola passou por baixo do goleiro e entrou.

O gol marcado logo no começo deu tranquilidade aos donos da casa, que mantinham a posse de bola sem correr muitos riscos. Os visitantes tentaram em escanteio fechado, aos 16 minutos, mas Armani afastou de soco.

O gramado estava molhado, o que atrapalhava a troca de passes da Chapecoense. Para piorar, a defesa dava bobeira, e o Nacional aproveitava. Aos 31, Díaz cobrou lateral rapidamente, nas costas de João Pedro, e a bola chegou a Torres, que rolou para Ibargüen. Ele cortou a marcação dentro da área e acertou o canto esquerdo, fazendo 2 a 0.

O atual campeão da Libertadores explorava bastante o lado direito do ataque. Aos 39, Moreno encarou a marcação de Douglas Grolli e foi derrubado. Na cobrança de falta, a defesa conseguiu fazer o corte.

O Verdão do Oeste teve tudo para diminuir logo aos dois minutos da segunda etapa, mas a bola não entrou. João Pedro entrou na área pela direita e serviu Arthur, que tirou do goleiro com categoria, mas Henríquez salvou em cima da linha.

A Chape tinha dificuldades na criação, mas mesmo assim insistia. Aos 17, Wellington Paulista recebeu no bico esquerdo da pequena área e concluiu rente ao poste.

Contudo, quem marcou novamente foi o representante colombiano. Aos 22, Ibargüen driblou Apodi duas vezes e alçou na área. Rodríguez preparou de cabeça e Moreno completou para fazer o seu segundo na decisão.

Ainda coube mais. Aos 35 minutos, Ibargüen foi para cima de Douglas Grolli e escorregou no momento da finalização, pegando mal na bola, mas mesmo assim encobriu Artur Moraes e ampliou.

O campeão da Sul-Americana ao menos conseguiu descontar aos 38, com Tulio de Melo. Osman levantou, Wellington Paulista brigou no miolo e a sobra ficou limpa para o ex-atacante do Lille, que girou da marca do pênalti, bateu e deixou o placar em 4 a 1.

O Verdão ainda terminou a partida com dez homens. Andrei Girotto cometeu falta dura no campo de ataque, recebeu o segundo cartão amarelo e foi expulso.



Ficha técnica:.

Atlético Nacional: Armani; Bocanegra, Nájera, Henríquez e Díaz; Arias, Ramírez (Blanco) e Torres; Moreno, Rodríguez e Ibargüen. Técnico: Reinaldo Rueda.

Chapecoense: Arthur Moraes; João Pedro, Douglas Grolli, Nathan e Reinaldo; Andrei Girotto, Moisés Ribeiro e Luiz Antonio (Apodi); Osman, Arthur (Tulio de Melo) e Wellington Paulista. Técnico: Vagner Mancini.

Árbitro: Roberto Tobar (Chile), auxiliado pelos compatriotas Marcelo Barraza e Claudio Ríos.

Cartões amarelos: Rodríguez e Blanco (Atlético Nacional); Arthur, Reinaldo, Moisés Ribeiro, Andrei Girotto e Nathan (Chapecoense).

Cartão vermelho: Andrei Girotto (Chapecoense).

Gols: Moreno (2x) e Ibargüen (2x) (Atlético Nacional); Tulio de Melo (Chapecoense).

Estádio: Atanasio Girardot, em Medellín.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo