Esporte

Real Madrid atropela Juventus e chega a 12 títulos na Liga dos Campeões

03/06/2017 17h50

Cardiff, 3 jun (EFE).- No duelo do maior campeão contra o time mais vezes vice, o Real Madrid aumentou neste sábado o número de troféus da Liga dos Campeões da Europa para 12, ao vencer a Juventus, derrotada pela sétima vez em finais, por 4 a 1, no Millennium Stadium, em Cardiff, no País de Gales.

A noite foi especial para o atacante português Cristiano Ronaldo, que balançou as redes duas vezes, aos 20 minutos do primeiro tempo e aos 19 do segundo. Com isso, o camisa 7 termina a competição como artilheiro isolado, com 12 gols, superando o argentino Lionel Messi, do Barcelona, que marcou 11 vezes.

Além disso, CR7 alcançou o quarto título continental - um deles ainda como jogador do Manchester United -, chegou a 600 gols na carreira e se tornou o primeiro a balançar as redes em três finais diferentes da 'Champions'. Além disso, quando abriu o placar do duelo, fez o gol número 500 do Real na competição.

O volante Casemiro, com lindo chute de fora da área, aos 16 da etapa final, e o meia espanhol Marco Asensio, aos 45, também marcaram para o campeão. O atacante croata Mario Mandzukic, também com muito estilo, fez o único gol da Juventus na decisão, ainda no primeiro tempo.

A equipe italiana ainda teve que terminar a partida com um homem a menos em campo, devido à expulsão, aos 39 da segunda etapa, do meia colombiano Juan Cuadrado, que havia saído do banco de reservas 18 minutos antes.

O título faz com que o Real Madrid chegue a 12 conquistas na 'Champions', aumentando a vantagem no ranking histórico da competição. Além disso, é o primeiro dono de dois troféus consecutivos desde 1990, quando o Milan se sagrou bicampeão.

A Juve, que buscava a terceira conquista, passa assim a acumular sete vice-campeonatos, enquanto Bayern de Munique e Benfica têm cinco cada um.

Os 'Bianconeros' ainda lutavam para alcançar, pela primeira vez, a Tríplice Coroa, já que também conquistaram o Campeonato Italiano e a Copa da Itália nesta temporada, feito de Celtic (1966/1967), Ajax (1971/1972), PSV Eindhoven (1987/1988), Manchester United (1998/1999), Barcelona (2008/2009 e 2014/2015), Inter de Milão (2009/2010) e Bayern de Munique (2012/2013).

Para a decisão deste sábado, os dois técnicos mantiveram interrogações nas escalações até pouco antes do duelo. O italiano Massimiliano Allegri optou por manter o zagueiro Andrea Barzagli deslocado para o lado direito da defesa, deixando Cuadrado no banco, dando assim mais liberdade para Daniel Alves.

Já o francês Zinedine Zidane decidiu deixar Isco na equipe titular do Real, fazendo com que o galês Gareth Bale, recém-recuperado de lesão, voltasse ao time sentado no banco de reservas. O lateral-direito Dani Carvajal, outro que deixou recentemente o departamento médico, apareceu no 11 inicial.

Quatro brasileiros estavam no gramado no momento do primeiro apito do árbitro alemão Felix Brych. Além de Daniel Alves, o lateral-esquerdo Alex Sandro, na Juve, o também ala canhoto Marcelo e o volante Casemiro no atual campeão. Além disso, o goleiro Neto ficou como suplente nos 'Bianconeros', e o lateral-direito Danilo, nos 'Blancos'.

Com a bola rolando, a equipe de Turim, elogiada pela força da retaguarda, começou pressionando o Real Madrid, sempre destacado pelo poderio ofensivo. Antes dos 5 minutos, Higuaín cabeceou para defesa de Navas e, depois testou o goleiro em chute forte da entrada da área, defendido em dois tempos.

Aos 6, a Juventus chegou mais uma vez ao ataque, levando muito perigo. Foi a vez do costa-riquenho fazer intervenção espetacular, em bomba desferida pelo volante Khedira.

A equipe comandada por Zidane, a cada minuto, reduzia o ímpeto do adversário, controlando a bola e tantando sair em ações rápidas. Aos 20, em jogada iniciada pela esquerda, a bola chegou até Carvajal na direita, que cruzou para Cristiano Ronaldo bater de primeira e ainda contar com desvio em Bonucci para estufar as redes.

Incansável, a Juve não se abateu com o gol sofrido e buscou a igualdade aos 27, em bela trama coletiva, que terminou em linda conclusão de Mandzukic. Após passe da esquerda de Alex Sandro, de primeira, Higuaín matou no peito e ajeitou sem deixar a bola cair e o atacante croata emendou acrobaticamente, batendo Navas.

A grande polêmica da etapa inicial veio aos 34 do primeiro tempo, quando Pjanic cobrou falta e a bola explodiu em Cristiano Ronaldo. Os jogadores do time italiano reclamaram de bola na mão do craque português, o que foi ignorado pelo árbitro Felix Brych.

Diferentemente do que aconteceu na etapa inicial, depois do intervalo, o Real Madrid foi que se lançou ao ataque. Aos 8, Modric carregou a bola até entrada da área, ajeitou e encheu o pé esquerdo, parando em defesa segura de Buffon.

Dominante na partida, encurralando a Juve, a equipe espanhola voltou a liderar o placar aos 16 do segundo tempo. Casemiro pegou sobra na intermediária e não titubeou, acertando um foguete, que desviou em Khedira e entrou no canto direito defendido pelo goleiro da Juventus.

Dessa vez, o gol desnorteou os 'Bianconeros', que viram a desvantagem aumentar aos 19 do segundo tempo. Modric recebeu quase na linha de fundo e deu um tapa preciso na bola, encontrando Cristiano Ronaldo na área. O atacante português fuzilou e chegou a 600 gols na carreira.

Allegri mexeu, colocou Cuadrado no lugar de Barzagli, tentou lançar sangue novo com as entradas de Marchisio e Lemina, mas o time italiano não esboçava reação. Para piorar, aos 39 minutos, o meia colombiano recebeu segundo cartão amarelo, após se envolver em confusão com Sergio Ramos.

Ainda houve tempo para que, aos 45 do segundo tempo, em mais uma ação rápida, o jovem meia Asensio, que havia substituído Isco um pouco antes, recebesse passe açucarado de Marcelo, que fez grande jogada pela esquerda, e definisse o placar do duelo.



Ficha técnica:.

Juventus: Buffon; Barzagli (Cuadrado), Bonucci, Chiellini e Alex Sandro; Khedira, Pjanic (Marchisio), Daniel Alves, Dybala (Lemina) e Mandzukic; Higuaín. Técnico: Massimiliano Allegri.

Real Madrid: Navas; Carvajal, Sergio Ramos, Varane e Marcelo; Casemiro, Modric, Kroos (Morata) e Isco (Asensio); Cristiano Ronaldo e Benzema (Bale). Técnico: Zinedine Zidane.

Árbitro: Felix Brych (Alemanha), auxiliado pelos compatriotas Mark Borsch e Stefan Lupp.

Gols: Mandzukic (Juventus); Cristiano Ronaldo (2), Casemiro e Asensio (Real Madrid).

Cartões amarelos: Dybala, Kroos, Pjanic, Alex Sandro e Cuadrado (Juventus); Sergio Ramos, Carvajal e Kroos (Real Madrid).

Cartão vermelho: Cuadrado (Juventus).

Estádio: Millennium Stadium, em Cardiff (País de Gales).

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo