Esporte

No Canadá, Vettel e Ferrari seguem desafiando a "Fórmula Mercedes"

08/06/2017 16h19

Redação Central, 8 jun (EFE).- A "Fórmula Mercedes", apelido que a Fórmula 1 ganhou devido ao domínio da escuderia alemã nas últimas três temporadas, será colocada a prova mais uma vez, principalmente, pela Ferrari, líder entre os construtores, pelo alemão Sebastian Vettel, primeiro no Mundial de Pilotos, no Grande Prêmio do Canadá.

A fase do time italiano é tão boa que, no GP de Mônaco, disputado há duas semanas, o tetracampeão mundial cruzou a linha de chegada na frente, seguido pelo companheiro, o finlandês Kimi Raikkonen. Esta foi a primeira dobradinha ferrarista desde o GP da Alemanha em 2010, quando o espanhol Fernando Alonso venceu, com Felipe Massa chegando em segundo.

Vettel, com a vitória mais recente, chegou aos 129 pontos, alcançando a marca de três vitórias e três segundos lugares na temporada. Na tabela de classificação, o alemão abriu 25 pontos de frente para o britânico Lewis Hamilton, da Mercedes, que foi apenas sétimo nas ruas de Monte Carlo.

O circuito Gilles Villeneuve, em Montreal, no entanto, pode ser o palco ideal para uma reação do três vezes campeão mundial, que já venceu cinco vezes no local. As duas últimas vezes em que o dono do carro número 44 subiu no topo do pódio na pista foi em 2015 e 2016. Se levar a melhor outra vez, ficará a uma vitória de igualar o alemão Michael Schumacher, vencedor em sete ocasiões.

Terceiro colocado na temporada, o finlandês Valtteri Bottas, companheiro de Hamilton na Mercedes, vai em busca de se aproximar da luta pelo título, pois, depois do quarto lugar em Mônaco, chegou aos 75 pontos, apenas oito a frente de Raikkonen.

Além da luta pelos primeiros lugares na tabela, outra atração no GP do Canadá será o retorno de Alonso à Fórmula 1, depois de experiência na Fórmula Indy, onde disputou há duas semanas as 500 Milhas de Indianápolis, abrindo mão de correr em Mônaco.

O piloto da McLaren chegou a lutar pela vitória no circuito oval mais famoso do mundo, mas teve problemas no motor Honda nas últimas voltas e teve que se limitar a torcer pelo japonês Takuma Sato, da equipe Andretti, que cruzou a linha de chegada na ponta, conforme revelou depois da bandeirada.

O brasileiro Felipe Massa, da Williams, que nunca venceu nas ruas de Montreal, seguirá tentando melhor a posição na classificação da temporada, já que ocupa apenas a nona colocação, com 20 pontos, depois de ter terminado no nono lugar em Mônaco.

Desde 2010, quando a prova retornou ao calendário da F-1, o paulista não vem conseguindo bons resultados no Canadá. Os melhores desempenhos foram dois sextos lugares, obtidos em 2011 e 2015.

A primeira atividade do Grande Prêmio será nesta sexta-feira, às 11h (de Brasília), com treino livre. No dia seguinte, depois de duas sessões que não valem para classificação, acontecerá a definição do grid, às 14h (de Brasília). No domingo, uma hora depois, será dada a largada para a primeira de 70 voltas da corrida.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Esporte

Topo