Esporte

Presidente da Fifa garante que Catar não corre riscos de perder Copa de 2022

11/06/2017 14h17

Genebra, 11 jun (EFE).- O presidente da Fifa, Gianni Infantino, demonstrou confiança na inexistência de riscos de a Copa do Mundo de 2022 não ser disputada no Catar, que vive rompimento de relações diplomáticas, além de bloqueio terrestre, marítimo e aéreo imposto pela Arábia Saudita, os Emirados Árabes e Bahrein.

Em uma entrevista concedida ao jornal "Le Matin Dimanche", Infantino respondeu diretamente com um "não" à pergunta sobre a possibilidade de ter de mudar o Mundial de sede. "A região voltará a uma situação normal", afirmou o dirigente suíço, confiante.

"Estamos diante de uma crise diplomática, mas o papel essencial da Fifa, como eu sei, é se preocupar com o futebol e não imiscuir-se na geopolítica", completou Infantino, que, no entanto, destacou que continuará atento ao que acontece no Oriente Médio.

"Observamos atentos a evolução da situação. Também estamos em contato regular com as mais altas autoridades do Catar e o comitê de organização. Se a Fifa puder fazer alguma coisa para ajudar de alguma maneira, ofereceremos certamente a nossa ajuda", afirmou.

Os países da região que suspenderam as suas relações acusam o Catar de apoiar organizações terroristas, além de descumprir os compromissos e acordos internacionais.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo