Esporte

Promotoria croata investiga Modric por falso testemunho em julgamento

19/06/2017 13h16

Zagreb, 19 jun (EFE).- A Promotoria croata abriu uma investigação contra o meia Luka Modric, do Real Madrid, por suspeitar que o jogador deu um falso testemunho na última terça-feira durante o julgamento por corrupção do ex-treinador do Dínamo de Zagreb Zdravko Mamic.

A Promotoria considera que Modric modificou seu depoimento em relação às explicações que tinha dado durante a investigação do caso em 2015, o que poderia ser enquadrado como crime de perjúrio, informa nesta segunda-feira o jornal "Vecernji list".

Dar falso testemunho na Croácia é um ato passível de pena de até cinco anos de prisão.

Modric mudou seu depoimento em alguns detalhes relativos às datas e modalidades dos contratos que assinou com Mamic, de modo que beneficiaria o treinador de seu antigo clube.

Mamic está sendo julgado, junto com outras três pessoas, por supostamente desviar até 15 milhões de euros nas transferências de jogadores a clubes estrangeiros, entre eles Modric, bem como por sonegar 1,5 milhão de euros em impostos.

O ex-técnico do Dínamo Zagreb, de 57 anos, é tido como a pessoa que até pouco tempo controlava o futebol croata.

Entre as transferências investigadas está a de Modric para o Tottenham, em 2008, em que Mamic teria se apropriado ilegalmente de no mínimo sete milhões de euros.

Metade dos 23 milhões pagos pelo clube inglês pertencia a Modric, que possuía 50% dos direitos de transferência, mas grande parte do dinheiro acabou nas mãos da família de Mamic.

"Acredito que o Dínamo obteve pela minha transferência ao Tottenham 21 ou 23 milhões de euros. Parte desse dinheiro foi pago a mim também, com base em um contrato anexo que assinei com o Dínamo sobre a divisão dessa quantia, 50%. Fiz esse acordo com o senhor Mamic", confirmou Modric na última terça-feira.

O meia do Real Madrid indicou que ele mesmo entregou o dinheiro a Mamic e seus assistentes após tirá-lo do banco em vários lotes.

Segundo a versão de Mamic, existia um contrato secreto anexo ao principal que dava a ele grande parte do dinheiro que seria recebido por Modric.

No entanto, a Promotoria considera que esse anexo é posterior à transferência e que se trata de um simples truque legal para justificar porque o treinador ficou com o dinheiro.

Ao testemunhar no julgamento, Modric mudou a versão que havia dado em seu depoimento durante a investigação, algo que beneficiaria Mamic.

Por isso, a Promotoria suspeita agora que o jogador "testemunhou falsamente ter assinado o anexo do contrato profissional em 10 de julho de 2004", segundo o comunicado judicial, que não menciona o nome da testemunha, mas claramente se refere a Modric.

A Promotoria indica que suas declarações de 13 de junho deste ano diferem das dadas em 30 de agosto de 2015 perante o Escritório de Luta contra a Corrupção e o Crime Organizado (USKOK).

Após o testemunho de Modric, vários torcedores mostraram decepção com a atitude do jogador ao ajudar Mamic, que para uma parte da torcida simboliza a corrupção no futebol croata.

Na região da Dalmácia, muros foram pichados com críticas a Modric, chamando-o de "caixa eletrônico" e "fantoche" de Mamic.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário do UOL. É grátis!

Mais Esporte

Topo