Esporte

Promotoria de Madri acusa Mourinho de sonegar 3,3 milhões de euros

20/06/2017 11h22

Madri, 20 jun (EFE).- A Divisão de Crimes Econômicos da Promotoria de Madri apresentou uma denúncia contra José Mourinho por ter sonegado 3,3 milhões de euros recebidos por seus direitos de imagem durante a passagem como técnico do Real Madrid.

Segundo os promotores, Mourinho teria cometido dois crimes contra a Fazenda Pública nas declarações de imposto de renda em 2011 e 2012, quando comandava o clube espanhol. A quantia sonegada é de 3.304.670 euros - 1.611.537 euros em 2011 e 1.693.133 euros em 2012.

A Fazenda Pública da Espanha enviou um relatório aos promotores que explica que Mourinho assinou um contrato que cedia seus direitos de imagem à empresa Kooper Services S.A., com sede nas Ilhas Virgens Britânicas.

Nesse mesmo dia, um novo contrato de cessão dos direitos de imagem do técnico foi firmado entre a Kooper e a irlandesa Multisports & Image Management Limited. Quatro anos depois, a companhia irlandesa assinou com a Polaris Sports Limited, que tinha mesmo domicílio social, um contrato de representação para buscar e negociar acordos comerciais em nome de Mourinho.

"Todas essas estruturas societárias foram utilizadas pelo denunciado com o objetivo de esconder as receitas procedentes de seus direitos de imagem", destacam os promotores.

Mourinho assinou no dia 31 de março de 2010 um contrato de trabalho com o Real Madrid e transferiu sua residência para capital espanhola, adquirindo condição de residente fiscal no país.

No entanto, segundo os promotores, com o objetivo de "obter benefício ilícito" apresentou as declarações de renda de 2011 e 2012 sem informar o recebido pela cessão de seus direitos de imagem.

Em julho de 2014, a Fazenda Pública comunicou Mourinho que investigaria suas declarações de imposto de renda entre 2010 e 2012. Foi quando o órgão observou que os valores não informados pelos direitos de imagem eram de 3.249.521 euros em 2011 e 2.805.903 euros no ano seguinte.

Em julho de 2015, Mourinho assinou uma ata de conformidade na qual reconhecia o problema e aceitava pagar uma multa de 1,14 milhão de euros.

No entanto, após o acordo, a Fazenda Pública descobriu que a Kooper Services foi, segundo os promotores, "criada pelo denunciante com o objetivo de ocultar seus direitos de imagem". Na acusação, a Promotoria de Madri diz que Mourinho é dono de 100% da empresa através da Kaitaia Truste, com sede na Nova Zelândia.

"Já que não existe diferença entre o denunciado e a empresa Kooper, o denunciado apresentou no expediente documentação relativa às despesas da companhia que não correspondem com a realidade", concluem os promotores na denúncia.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo