Esporte

Chile e Alemanha duelam por inédito título da Copa das Confederações

01/07/2017 16h46

São Petersburgo (Rússia), 1 jul (EFE).- Chile e Alemanha decidirão neste domingo, às 15h (de Brasília), no Estádio Krestovsky, em São Petersburgo, no desfecho de uma Copa das Confederações que as duas seleções encararam de maneira diferente, mas que chegam à final de olho no título inédito.

A 'Roja', classificada ao torneio pela conquista da Copa América em 2015, que repetiu no ano seguinte, em edição extraordinária, se apresentou com força máxima, sob o comando do técnico argentino Juan Antonio Pizzi, que, como jogador, defendeu a Espanha.

"Demonstramos que podemos disputar jogos com qualquer seleção, em qualquer situação. Agora, para podermos lutar amanhã, termos que estar no limite de nossa capacidade", afirmou o treinador da seleção chilena, em entrevista coletiva concedida neste sábado.

Os campeões mundiais, por sua vez, entraram na disputa sem os principais jogadores, poupando craques como Manuel Neuer, Jérome Boateng, Mats Hummels, Sami Khedira, Toni Kroos, Mesut Ozil, Thomas Müller, entre outros, para levar um elenco de jovens promessas, treinadas por Joachim Löw.

"Quando há um torneio e você convoca, sempre há debate sobre os convocados. O time não é tão experiente quanto poderia e realmente acredito que superamos as expectativas aqui. Os jogadores se beneficiaram muito dessa experiência e evoluíram demais. Essa era a minha prioridade", avaliou o técnico vencedor da Copa do Mundo.

O jogo acontecerá no Estádio Krestovsky, marcado pela polêmica de de ter tido um custo astronômico. Segundo a imprensa russa, o valor da instalação variou entre US$ 1,1 bilhão (R$ 3,6 bilhões) e US$ 1,4 bilhão (R$ 4,6 bilhões).

O resultado, é bem verdade, é impressionante, com um estádio imponente, com cobertura retrátil e capacidade para 68 mil pessoas. A poucas semanas da Copa das Confederações, no entanto, um novo gasto surgiu, já que foi preciso trocar a grama.

Na fase de grupos, as duas seleções se encontraram, na Kazan Arena, em partida que terminou empatada em 1 a 1. Alexis Sánchez abriu o placar para a 'Roja' aos 6 minutos do primeiro tempo, e, Lars Stindl igualou ainda antes do intervalo, aos 41.

O encontro anterior aconteceu em 12 de março de 2014, em amistoso disputado em Stuttgart, que os alemães venceram por 1 a 0, com gol do Mario Götze. A partida, no entanto, é considerada um marco para os chilenos, devido a atuação ofensiva que levou Löw ao desespero, algo que Pizzi pretende repetir.

"Esta equipe sabe criar oportunidades de gol. Estão todos prontos e com muita vontade. Todos temos esse sonho de duelar com um rival de primeirissímo nível", afirmou o técnico argentino.

Löw, por sua vez, admitiu que a Alemanha terá que atuar de maneira diferente ao duelo em Kazan, e que isso significará novidades no 11 inicial, sem, no entanto, revelar a formação que utilizará na final de São Petersburgo.

"Haverá algumas mudanças. Talvez, também tenhamos que fazer algumas correções com relação ao jogo da primeira fase", garantiu o comandante alemão.

Nas semifinais, o Chile avançou ao bater Portugal nos pênaltis por 3 a 0, depois de empate sem gols durante 120 minutos de tempo normal e prorrogação. O grande nome da partida foi o goleiro Claudio Bravo, que defendeu três cobranças dos lusos.

Para a decisão, Pizzi não tem qualquer problema, contando com força máxima. Qualquer mudança com relação ao duelo que levou à decisão, se dará por causa do desgaste físico de algum titular, mas, titulares importantes como Mauricio Isla, Gary Medel, Gonzalo Jara, Arturo Vidal, Eduardo Vargas e Sánchez, certamente estarão em campo.

A Alemanha, por sua vez, se garantiu na final ao passar com bastante tranquilidade pelo México por 4 a 1, com direito a dois gols relâmpagos marcados pelo meia Leon Goretzka. Timo Werner e Amin Younes também balançaram as redes, enquanto Marco Fabián descontou.

A escalação no encontro com os campeões da Concacaf, Löw fez quatro mudanças na seleção, inclusive, utilizando o ala Joshua Kimmich na zaga, e lançando Stindl e Werner, que tinham dois gols na competição, juntos no setor ofensivo. Diante da rotatividade imposta pelo técnico, no entanto, nenhum deles está garantindo em campo.

Quem tem presença certa na decisão da Copa das Conferações é o ex-atacante da seleção brasileira Ronaldo, que conduzirá o troféu de campeão ao gramado do Estádio Krestovsky, durante a Cerimônia de Encerramento da competição.

Ainda neste domingo, mais cedo, às 9h (de Brasília), Portugal e México disputarão, na Otkrytiye Arena o terceiro lugar na competição. O grande desfalque da partida será a ausência do atacante Cristiano Ronaldo, liberado pelo técnico Fernando Santos.

Nas duas partidas, em caso de empate, haverá disputa de prorrogação. Se persistir a igualdade, o vencedor sairá depois de cobranças de pênaltis.



Prováveis escalações:.

Chile: Bravo; Isla, Medel, Jara e Beausejour; Díaz, Aránguiz, Hernández e Vidal; Vargas e Sánchez. Técnico: Juan Antonio Pizzi.

Alemanha: Ter Stegen; Kimmich, Ginter e Rudiger (ou Mustafi); Henrichs, Goretzka, Rudy (ou Can) e Hector; Stindl, Draxler e Werner. Técnico: Joachim Löw.

Árbitro: Milorad Mazic (Sérvia), auxiliado pelos compatriotas Milovan Ristic e Dalibor Durdevic.

Estádio: Krestovsky, em São Petersburgo (Rússia).

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Esporte

Topo