Esporte

Portugal vence México e termina Copa das Confederações invicto e em 3º

02/07/2017 11h33

Moscou, 02 jul (EFE).- A seleção portuguesa encerrou a primeira particiação na Copa das Confederações de maneira invicta e com a terceira colocação, obtida após vitória na prorrogação neste domingo sobre o México, de virada, por 2 a 1, na Otkrytiye Arena, em Moscou.

Sem Cristiano Ronaldo, liberado para conhecer os filhos recém-nascidos, a equipe comandado por Fernando Santos alcançou a terceira vitória na competição - bateu a anfitriã Rússia e Nova Zelândia -, além de ter empatado com a própria 'Tri' e com o Chile, nas semifinais, antes de perder nos pênaltis.

O placar do duelo foi aberto aos 9 minutos da etapa complementar do tempo normal, quando o atacante Chicharito Hernández bateu da esquerda, Carlos Vela furou, mas a bola explodiu no zagueiro Luís Neto, morrendo no fundo das redes lusas.

Portugal já havia perdido pênalti na etapa inicial, em mais uma intervenção do sistema de auxílio de vídeo, hoje comandado pelo brasileiro Sandro Meira Ricci, que ajudou ao saudita Fahad Al-Mirdasi a marcar falta de Rafa Márquez em André Silva na área. O novo atacante do Milan cobrou, mas Guillermo Ochoa pegou.

O gol da igualdade só saiu nos acréscimos do segundo tempo, quando Ricardo Quaresma, que havia saído do banco aos 35, acertou belo cruzamento da direta e achou Pepe, já atuando como centroavante improvisado. Acrobaticamente, o zagueiro do Real Madrid se antecipou a Miguel Layún e forçou a prorrogação.

No tempo-extra, a seleção portuguesa virou o placar aos 14 minutos da etapa inicial, em nova cobrança de penalidade, marcada pelo árbitro, após toque de mão de Layún. O meia Adrien Silva, outro que começou como reserva, bateu com categoria para vencer Ochoa.

Logo aos 30 segundos do segundo tempo, o México passou a atuar com um a mais em campo, devido a expulsão do lateral-direito Nélson Semedo. O defensor acertou chute no rosto do atacante Hirving Lozano, recebeu o segundo amarelo e deixou o jogo mais cedo.

A superioridade numérica, no entanto, durou pouco, já que, em lance parecido, o atacante Raúl Jiménez acertou o lateral-esquerdo Eliseu, também foi advertido com cartão pela segunda vez e acabou expulso.

Nos instantes finais da prorrogação, coube ao goleiro Rui Patrício garantir a vitória portuguesa, em defesaça após belo chute acertado por Herrera. Na sequência da jogada, após disputa de Pepe com Moreno na área, o mexicano caiu, gerando reclamação generalizada por um pênalti, que acabou não sendo marcado.



Ficha técnica:.

Portugal: Rui Patrício; Semedo, Pepe, Luís Neto e Eliseu; João Moutinho (André Gomes), Danilo (Adrien Silva), Gélson Martins e Pizzi (William Carvalho); Nani (Quaresma) e André Silva. Técnico: Fernando Santos.

México: Ochoa; Layún, Araujo, Moreno e Reyes; Herrera, Márquez (Fabián) e Guardado (Jonathan dos Santos); Vela, Peralta (Lozano) e Hernández (Jiménez)) . Técnico: Juan Carlos Osorio.

Árbitro: Fahad Al-Mirdasi (Arábia Saudita), auxiliado pelos compatriotas Abdullah Al-Shalawi e Mohammed Al-Abakry.

Gols: Pepe e Adrien Silva (Portugal); e Luís Neto (contra) (México).

Cartões amarelos: Semedo (Portugal); Márquez, Fabián, Moreno e Jiménez (México).

Cartões vermelhos: Semedo (Portugal) e Jiménez (México).

Estádio: Otkrytiye Arena, em Moscou (Rússia).

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Esporte

Topo