Esporte

Goleiro campeão olímpico falha, e Santos vence Atlético-PR na Vila Capanema

05/07/2017 21h14

Curitiba, 5 jul (EFE).- O Santos deu um passo importante rumo às quartas de final da Taça Libertadores nesta quarta-feira ao vencer o Atlético-PR por 3 a 2 na Vila Capanema, em Curitiba, em noite infeliz do goleiro Weverton, campeão olímpico no ano passado, nos Jogos do Rio de Janeiro.

Em uma partida de ida de oitavas com cinco gols, o de maior destaque foi o segundo do Peixe, marcado na etapa final por Bruno Henrique depois que o camisa 12 do Furacão soltou um chute despretensioso de Victor Ferraz.

Antes, ainda no primeiro tempo, Nikão havia aberto o placar para o time mandante, e Kayke deixou tudo igual. O tricampeão continental chegou a estar vencendo por 3 a 1, com outro de Kayke, este de letra, mas Éderson diminuiu a diferença instantes depois.

Na partida de volta, em 10 de agosto, na Vila Belmiro, o Santos poderá perder por 1 a 0 ou 2 a 1 que mesmo assim estará nas quartas, em que enfrentaria Palmeiras ou Barcelona de Guayaquil. Já o vice-campeão da Libertadores de 2005 precisará de um triunfo por um gol de frente, desde que faça quatro, ou de uma vantagem ainda maior.

O jogo desta quarta-feira aconteceu na Vila Capanema porque a Arena da Baixada, casa da equipe paranaense, está sediando a fase final da Liga Mundial de vôlei. A primeira opção era o estádio Couto Pereira, mas não houve acordo com o proprietário do local, o rival Coritiba.

O Atlético já tinha dois desfalques confirmados, o zagueiro Wanderson, suspenso, e o meia Guilherme, machucado. De última hora, o técnico Eduardo Baptista optou por escalar Cascardo na lateral direita, já que Jonathan não está 100% fisicamente após lesão no músculo adutor da coxa direita.

Já para Levir Culpi, que chegou para substituir Dorival Junior e fez sua estreia na Libertadores, a lista de baixas foi maior. O técnico do Santos não pôde contar com os zagueiros Luiz Felipe e Cleber, os laterais Zeca e Caju, o meia Vitor Bueno e o atacante Ricardo Oliveira.

O Furacão começou a partida avassalador e fez 1 a 0 logo aos seis minutos do primeiro tempo. Em jogada pela esquerda, o lado forte dos rubro-negros, Sidcley avançou e cruzou rasteiro. Lucho González furou feio, mas, atento, Nikão emendou no canto direito e abriu o placar.

A equipe mandante continuou em cima, mas o Peixe conseguiu responder aos 16. Lucas Lima bateu escanteio e Kayke resvalou na direção de Bruno Henrique, mas o camisa 27 não conseguiu concluir.

Os erros do Atlético foram aumentando, o time paulista ganhou campo e empatou aos 25 minutos. Jean Mota fez ótimo passe para Lucas Lima, que esticou para Kayke. O centroavante invadiu a área e chutou forte na saída de Weverton, que, desta vez, não tinha muito que fazer.

Assustado em um primeiro momento com o empate, o Atlético reagiu e esteve a centímetros de marcar o segundo aos 44. Lucho González deixou Victor Ferraz na saudade pelo meio, bateu de fora da área e acertou a trave depois de leve - e providencial - desvio do goleiro Vanderlei.

Se o primeiro tempo foi equilibrado, o segundo começou com amplo domínio do Peixe, que incomodou logo com um minuto. Matheus Rossetto perdeu na intermediária de defesa para Thiago Maia, que tocou para Kayke. Porém, o centroavante concluiu em cima do goleiro da seleção brasileira e desperdiçou a chance.

Herói antes, Weverton foi vilão pouco depois, aos 11, levando um frango. Victor Ferraz tentou de muito longe, e o arqueiro rubro-negro se enrolou todo com a bola, que percorreu a linha antes de ser empurrada para a rede por Bruno Henrique.

A falha foi do camisa 12, mas o alvo das críticas da torcida acabou sendo o treinador. A torcida o chamou de "burro" e pediu à diretoria: "Fora, Eduardo". Aproveitando-se do mau momento do adversário, o tricampeão continental marcou mais um, aos 22 minutos. Lucas Lima colocou na área, Bruno Henrique ajeitou para o meio e Kayke marcou de letra.

Perdido em campo, mas aguerrido, o Atlético reduziu o prejuízo aos 26, com gol de Éderson. Sidcley fez o chuveirinho da esquerda, Rossetto preparou e o artilheiro do Campeonato Brasileiro em 2013 finalizou para a rede.

O ritmo caiu um pouco na parte final do confronto, e houve apenas uma chance mais clara, a favor dos visitantes. Aos 38, Bruno Henrique entortou Cascardo na esquerda com dois bonitos dribles, mas chutou para fora e ainda caiu pedindo substituição. Vecchio entrou em seu lugar.



Ficha técnica:.

Atlético-PR: Weverton; Cascardo, Paulo André, Thiago Heleno e Sidcley; Otávio, Lucho González (Pablo) e Matheus Rossetto (Grafite); Nikão, Douglas Coutinho (Carlos Alberto) e Éderson. Técnico: Eduardo Baptista.

Santos: Vanderlei; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, David Braz e Jean Mota; Renato, Thiago Maia e Lucas Lima; Copete, Bruno Henrique (Vecchio) e Kayke (Fabián Noguera). Técnico: Levir Culpi.

Árbitro: Roberto Tobar (Chile), auxiliado pelos compatriotas Marcelo Barraza e Claudio Ríos.

Cartões amarelos: Otávio e Thiago Heleno (Atlético-PR).

Gols: Nikão e Éderson (Atlético-PR); Kayke (2x) e Bruno Henrique (Santos).

Estádio: Vila Capanema, em Curitiba.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo