Esporte

Bolt vence 100m no adeus à Liga Diamante; Braz fica em 9º no salto com vara

21/07/2017 18h12

Redação Central, 21 jul (EFE).- Em sua última participação na Liga Diamante, na etapa de Mônaco, o jamaicano Usain Bolt venceu nesta sexta-feira a prova dos 100 metros rasos, enquanto o brasileiro Thiago Braz, atual campeão olímpico, foi apenas o nono colocado no salto com vara.

Bolt vinha de um tratamento nas costas e, para piorar, se mostrou abalado com a morte do britânico Germain Mason, medalha de prata no salto em altura dos Jogos de Pequim, em 2008, e seu amigo particular.

O dono de oito ouros olímpicos mais uma vez não teve uma boa largada, mas reagiu bem, como de costume, e cruzou a linha de chegada em 9s95, obtendo sua melhor marca na temporada, que era de 10s03.

Além do jamaicano, apenas outro velocista, o americano Isiah Young, rompeu a barreira dos 10s, obtendo o tempo de 9s98, que lhe rendeu o segundo lugar. A terceira posição foi decidida no photo finish a favor do sul-africano Akani Simbine, com o britânico Chijindu Ujah em quarto.

Para Thiago Braz, a prova no Stade Louis II, no principado, não foi das melhores. Com a marca de 5m60, o atual campeão olímpico do salto com vara ficou em nono, enquanto seu antigo rival, o francês Renaud Lavillenie foi o quinto. O título foi conquistado pelo polonês Piotr Lisek, com 5m82.

A atual campeã olímpica e bicampeã mundial dos 800m, Caster Semenya, fez a melhor marca da carreira e quebrou o recorde da Diamond League na prova, com o tempo de 1min55s27. A atleta da África do Sul teve uma dura disputa com a burundinesa Francine Niyonsaba, bronze no Rio e que desta vez ficou com a prata. A terceira posição foi da americana Ajee Wilson.

Forte candidato a substituir Bolt como grande ídolo do atletismo, o também sul-africano Wayde van Niekerk, campeão olímpico e mundial, precisou apertar o ritmo para vencer os 400m e, de quebra, derrubar o recorde do Meeting de Mônaco, que já durava 19 anos.

O dono do ouro no Rio 2016 completou a distância em 43s73, 0s11 à frente do segundo colocado, Isaac Makwala, de Botswana, mesmo país de nascimento de Baboloki Thebe, que completou o pódio.

A americana Kendra Harrison, recordista mundial dos 100 metros com barreira, superou a compatriota Sharika Nelvis por apenas 0s1 (12s51 a 12s52) e ficou com o título. O bronze foi da jamaicana Danielle Williams.

Campeã olímpica do salto triplo, a colombiana Catherine Ibargüen confirmou o favoritismo, saltando 14m86, 0s03 à frente da venezuelana Yulima Rojas, prata no Rio de Janeiro e também em Monaco. A jamaicana Kimberly Williams foi a terceira.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo