Esporte

Brasil encerra participação no Mundial de Esportes Aquáticos com 8 medalhas

30/07/2017 16h23

Budapeste, 30 jul (EFE).- O Brasil encerrou neste domingo a participação no Campeonato Mundial de Esportes Aquáticos, com o quinto lugar no revezamento 4x100m medley masculino, com o sétimo posto de Brandonn Almeida no 400m medley, em mais um dia de ouro para o americano Caeleb Dressel, sensação da competição.

O time formado por Guilherme Guido, João Gomes Jr., Henrique Martins e Marcelo Chierighini cravaram o tempo de 3min31s53, melhorando em uma posição o desempenho dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, há quase um ano, quando terminaram em sexto, com o tempo de 3min32s84.

A vitória ficou com o time americano, bicampeão mundial, formado por Matt Grevers, Kevin Cordes, Caeleb Dressel e Nathan Adrian, que obteve a marca de 3min27s91, menos de sete décimos acima do recorde mundial, de 3min27s28, estabelecido pelos EUA em 2009, em Roma.

O resultado na última prova aumenta ainda mais o destaque de Dressel nesta edição do Mundial, em que conquistou o sétimo ouro: os outros foram nos 50m e 100m livre, 100m borboleta, e nos revezamento 4x100m livre, livre misto, e medley misto.

A Grã-Bretanha terminou com a medalha de prata, ao fechar a prova com o tempo de 3min28s95, enquanto a Rússia arrebatou o bronze, ao estabelecer marca de 3min29s76. O Japão ainda ficou a frente do Brasil, em quarto, com 3min30s19.

Mais cedo, na última participação individual dos brasileiros na natação, o Brandonn Almeida cravou tempo de 4min13s00, apenas 13 centésimos acima da marca estabelecida nas eliminatórias dos 400m medley, ficando a frente apenas do eslovaco Richard Nagy, que fechou raia com 4min16s33.

O americano Chase Kalisz, que havia levado a melhor nas águas do Rio de Janeiro, hoje venceu com 4min05s90, estabelecendo o novo recorde do Mundial, encerrando reinado de duas edições do japonês Daiya Seto, que hoje acabou com a medalha de bronze, graças ao tempo de 4min09s14.

A prata, para delírio da torcida da casa, acabou com o húngaro David Verraszto, que repetiu desempenho de dois anos atrás, em Kazan, na Rússia, quando também terminou em seguindo. Hoje, o nadador anfitrião marcou 4min08s38.

Na parte da manhã, Joana Maranhão foi a última brasileira a nadar nesta edição do Mundial, ficando na 11ª posição, entre 27 competidoras, nas eliminatórias dos 400m medley, ao cravar o tempo de 4min41s29.

Mais tarde, na final da prova, a húngara Katinka Hosszu levou o público ao delírio, ao vencer com 4min29s33, novo recorde do campeonato. A espanhola Mireia Belmonte ficou com a prata, e a canadense Sydney Pickrem com o bronze.

O Brasil, por sua vez, termina o Mundial com oito medalhas, sendo duas de ouro (Ana Marcela Cunha, nos 25km da maratona aquática, e Etiene Medeiros, nos 50m costas), quatro de prata e duas de bronze, melhorando o desempenho de Kazan, quando o país subiu sete vezes ao pódio, uma em primeiro, quatro em segundo e duas em terceiro.

O último dia ainda teve dois recordes mundiais, o primeiro da americana Lilly King, que venceu os 50 metros peito com a marca de 29s40, oito centésimos mais rápida que o tempo estabelecido pela lituana Ruta Meilutyte há quatro anos, em Barcelona.

A medalha de prata na prova acabou indo para a russa Yuliya Efimova, com 29s57 enquanto o bronze foi para outra nadadora dos Estados Unidos, Katie Meili, com 29s99. A então dona do melhor desempenho da história ficou na quarta posição, com 30s20.

King também participou do outro recorde quebrado hoje, pelo time americano no revezamento 4x100m medley. Ela, Kathleen Baker, Kelsi Worrell e Simone Manuel nadaram em 3min51s55, superando em meio segundo a marca estabelecida por equipe do país em 2012.

A Rússia terminou na segunda colocação, com o tempo de 3min53s38, recorde europeu, seguida pela Austrália, que fechou a disputa com 3min54s29, segurando o Canadá por menos de seis décimos.

Nos 50m livre, a sueca Sarah Sjostrom confirmou o favoritismo e venceu ao nadar em 23s69, apenas dois centésimos mais lenta que o próprio recorde mundial, batido ontem nas semifinais. A holandesa Ranomi Kromowidjojo ficou com a prata, e a ameicana Simone Manuel com o bronze.

Nos 50m costas, o francês Camille Lacourt conquistou o tricampeonato mundial, ao levar a melhor com 24s35. O japonês Junya Koga terminou na segunda colocação, com 24s51, e o americano Matt Grevers, prata há dois anos em Kazan, na terceira, com 24s56.

Por fim, o italiano Gregorio Paltrinieri arrebatou o ouro nos 1.500m livre, ao nadar a distância em 14min35s85. O ucraniano Mykhailo Romanchuk conquistou a medalha de prata, enquanto o australiano Mack Horton ficou com o bronze.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo