Esporte

Barcelona goleia Chape em amistoso que marca volta de Alan Ruschel ao futebol

07/08/2017 18h18

(Corrige informação de que Artur foi único a enfrentar Barcelona)



Barcelona (Espanha), 7 ago (EFE).- Em 28 de novembro de 2016, a Chapecoense protagonizou o maior acidente aéreo da história envolvendo uma equipe esportiva, com a queda do avião que levava sua delegação para a final da Copa Sul-Americana, na Colômbia, e nesta segunda-feira, menos de nove meses depois, foi símbolo de um exemplo de vida e superação, com o lateral-esquerdo Alan Ruschel em campo na goleada sofrida para o Barcelona por 5 a 0.

No jogo, válido pelo amistoso Troféu Joan Gamper, organizado pelo clube catalão, um dos seis sobreviventes do dia mais triste da história do futebol brasileiro jogou por cerca de 35 minutos e foi ovacionado em um dos templos do esporte, o estádio Camp Nou.

Ainda com o capitão do Verdão do Oeste em campo, o Barça marcou três vezes, aos 5 minutos, com Gerard Deulofeu - substituto de Neymar no trio de ataque -, aos 10, com o volante Sergio Busquets, e aos 27 com o argentino Lionel Messi.

Na etapa complementar, as duas equipes atuaram com muitas alterações. O time catalão ampliou aos 9 minutos, com o uruguaio Luis Suárez, e fechou a conta com o atacante Denis Suárez, aos 28.

Aos 44, o goleiro Artur Moraes, um dos poucos do elenco que já havia atuando contra o Barcelona e que entrou no decorrer da partida, defendeu um pênalti cobrado pelo atacante espanhol Paco Alcácer, evitando que a Chape sofresse o sexto gol.

Esta foi a 40ª vez, em 52 edições, que o Barcelona conquistou o título do Troféu Joan Gamper, que entre 1966 e 1996 foi disputado em quadrangular eliminatório, e, desde 1997, acontece em jogo único. O Brasil ergueu a taça apenas uma vez, em 1982, com o Internacional.

Embora craques como Lionel Messi, Luis Suárez, Andrés Iniesta, entre outros, estivessem em campo, a grande atração nas escalações das equipes foi a presença de Alan Ruschel, um dos sobreviventes no trágico acidente aéreo do dia 28 de novembro do ano passado, na Colômbia.

Outros quatro brasileiros que viajavam na aeronave da LaMia também marcaram presença no Camp Nou. O ex-goleiro Follmann, que perdeu a perna direita, e o zagueiro Neto, que ainda está em fase de recuperação, deram o pontapé inicial da partida, narrada, das cabines, por mais um que escapou com vida da tragédia, o jornalista Rafael Henzel, da "Rádio Oeste Capital FM".

Com muitos reservas, já que atuou ontem, pelo Campeonato Brasileiro, na derrota para o Coritiba por 2 a 0, a Chapecoense conseguiu oferecer apenas cinco minutos de resistência. Após bela jogada de Rakitic, com direito a bola entre as pernas do zagueiro Luiz Otávio, Deulofeu recebeu livre na área e marcou.

Ainda aos 10, o Barcelona conseguiu ampliar, no contra-ataque. Dessa vez, o autor do primeiro gol serviu de garçom e ajeitou a bola para Busquets. O volante recebeu na intermediária e acertou, com categoria, o ângulo esquerdo do goleiro Elias.

Aos poucos, a Chape se soltou na partida, inclusive aparecendo no setor ofensivo. Wellington Paulista deu o primeiro chute a gol, aos 15, quando a bola foi para fora. Pouco depois, Luiz Otávio completou cruzamento da direita, testando à esquerda de Ter Stegen.

Melhor da equipe brasileira nos primeiros momentos do jogo, Elias brilhou intensamente aos 27, quando Messi recebeu livre e fuzilou, parando em defesa espetacular do goleiro. No lance seguinte, no entanto, o camisa 12 não conseguiu parar finalização do craque, que marcou em novo chute à queima-roupa.

Aos 35 minutos, Alan Ruschel foi protagonista de um momento de muita emoção. Antes de ser substituído pelo equatoriano Fernando Guerrero, o lateral-esquerdo se ajoelhou e elevou as duas mãos aos céus, enquanto começava a ser intensamente aplaudido pela torcida presente no estádio. Na saída para o intervalo, o brasileiro trocou camisa com Messi.

No segundo tempo, as duas equipes apresentaram mudanças nas escalações. O Barça mudou muito a postura, atuando com ritmo menos intenso do que na etapa inicial. Ainda assim, aos 9 minutos, Luis Suárez recebeu na direita, disparou e soltou a bomba para marcar o quarto gol.

Desfigurada em campo pelas inúmeras mudanças, a Chape não resistiu ao toque de bola. Aos 28, Messi deu passe açucarado entre os zagueiros e achou Denis Suárez - que substituiu Deulofeu no intervalo - livre, para bater cruzado e fuzilar para as redes.

Depois do quinto gol, o técnico Ernesto Valverde fez sete substituições simultâneas, inclusive tirando Busquets, Messi e Luis Suárez de campo. Pouco antes, Vinícius Eutrópio colocou o veterano goleiro Artur Moraes em campo, no lugar de Elias.

O ex-Santos, aliás, era um dos dois jogadores do elenco que já havia enfrentado o time principal do Barça. Em 2012, encarou o clube catalão duas vezes, pela fase de grupos da Liga dos Campeões da Europa, perdendo em casa por 2 a 0, e empatando fora, justamente, no Camp Nou, em partida que teve grande atuação. Já Wellington Paulista chegou a marcar um gol pelo Alavés em 2007 na Copa do Rei, também no Camp Nou, mas não impediu a derrota da equipe, pela qual estreava, por 3 a 2.

Já o meia equatoriano Fernando Guerrero, ex-Real Madrid C, encarou o Barcelona B em 2011, pelo Villarreal B. E o atacante Tulio de Melo, pelo Valladolid, encarou a filial da equipe catalã em 2015.

Aos 44 minutos do segundo tempo, Artur Moraes manteve o bom retrospecto no estádio, ao defender um pênalti cobrado por Alcácer, após falta de Khevin em Nélson Semedo. Nos acréscimos, o goleiro apareceu bem de novo, ao sair nos pés de Munir e parar de novo o ataque do time catalão.



Ficha técnica:.

Barcelona: Ter Stegen (Cillessen); Vidal (Semedo), Piqué (Marlon), Umtiti (Mascherano) e Alba (Digne); Busquets (Samper), Rakitic (Aleña) e Iniesta (Sergi Roberto); Messi (Alcácer), Luis Suárez (Munir) e Deulofeu (Denis Suárez). Técnico: Ernesto Valverde.

Chapecoense: Elias (Artur Moraes); Apodi (Zeballos), Luiz Otávio (Douglas Grolli), Victor Ramos (Fabrício Bruno) e Reinaldo; Moisés Ribeiro (Luiz Antônio), Lucas Mineiro (Khevin), Neném (Nadson) (Moisés Gaúcho) e Alan Ruschel (Guerrero) (Arthur Caike); Lourency (Penilla) e Wellington Paulista (Túlio de Melo). Técnico: Vinícius Eutrópio.

Árbitro: Alfonso Álvarez (Espanha).

Gols: Deulofeu, Busquets, Messi, Luis Suárez e Denis Suárez (Barcelona).

Cartão amarelo: Lucas Mineiro (Chapecoense)

Estádio: Camp Nou, em Barcelona (Espanha).

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo