Esporte

Vanderlei se destaca, Peixe vence e elimina o Atlético-PR da Libertadores

10/08/2017 23h44

Santos (SP), 10 ago (EFE).- Mesmo sem mostrar um grande futebol e pressionado em boa parte da partida, o Santos venceu o Atlético-PR por 1 a 0 nesta quinta-feira na Vila Belmiro e se classificou para as quartas de final da Taça Libertadores, em que enfrentará o Barcelona de Guayaquil.

Com a desvantagem de ter perdido o jogo de ida por 3 a 2, na Vila Capanema, há pouco mais de um mês, o Furacão se lançou ao ataque e teve as principais chances de gol da partida, mas parou em mais uma atuação inspirada do goleiro Vanderlei.

Letal em um dos poucos contra-ataques que conseguiu encaixar, o tricampeão continental saiu do sufoco com um gol de Bruno Henrique, já na parte final do confronto, aumentando para 12 o número de jogos seguidos sem perder na temporada. A última derrota aconteceu em 29 de junho, diante do Flamengo, pela Copa do Brasil.

O Peixe agora terá pela frente o Barcelona, que eliminou o Palmeiras nos pênaltis na quarta-feira, após vitória por 1 a 0 em Guayaquil e revés pelo mesmo placar no Allianz Parque.

A Rubro-Negro paranaense, resta voltar as atenções para o Campeonato Brasileiro, em que encerrou o primeiro turno na oitava colocação, a dois pontos do G6, que classifica para a Libertadores do ano que vem.

O técnico do time da casa, Levir Culpi, não pôde contar com os meias Vecchio, que sofreu uma lesão muscular na coxa direita, e Renato, que sentiu dores na perna direita e teve de dar lugar a Alison.

Entre os visitantes, houve bastantes mudanças nas cinco semanas entre a primeira partida e a segunda, entre elas no comando. Fabiano Soares sucedeu a Eduardo Baptista, treinador na ida, e a Paulo Autuori, que comandou o time até a vitória sobre a Católica.

Além disso, três jogadores que estiveram em campo na Vila Capanema deixaram o elenco. O meia Carlos Alberto e o atacante Grafite rescindiram contrato, e o volante Otávio foi negociado com o Bordeaux. Por outro lado, o lateral Fabrício e o atacante Ribamar foram inscritos e começaram jogando.

Sem alternativa, o Atlético tentou tomar a iniciativa e levou perigo pela primeira vez aos nove minutos de bola rolando. Nikão recebeu de Guilherme na esquerda, encarou Victor Ferraz e chutou. A bola desviou e passou perto da trave, mas saiu em escanteio. Na resposta do Santos, três minutos depois, Ricardo Oliveira preparou e Bruno Henrique bateu por cima.

Deixado de fora da seleção brasileira por Tite, Vanderlei não se abateu e continuou trabalhando bem pelo tricampeão da Libertadores. Aos 23 minutos, Guilherme cobrou falta da direita, Paulo André cabeceou e o goleiro espalmou para fora. No escanteio, foi Fabrício quem ganhou no alto, mas o camisa 1 salvou de novo. Inspirado, ele brilhou mais uma vez pouco depois, aos 26, em finalização cruzada de Guilherme.

O vice-campeão continental de 2005 não desistia, mas esbarrava em um paredão. Aos 35 minutos, o meia-atacante atleticano tentou de fora da área, e o arqueiro santista encaixou. Logo na sequência, aos 37, Jonathan limpou e o goleiro deu rebote, que ficou com Sidcley. A bola entraria, mas Lucas Veríssimo fez corte providencial.

O panorama não mudou muito na volta do intervalo, mas a linha de frente do Atlético estava sempre em inferioridade numérica. Aos quatro minutos, Ribamar foi lançado no mano a mano, mas se enrolou e, sem muitas opções, ajeitou para Nikão, que soltou a bomba e carimbou Veríssimo.

O zagueiro resolvia na defesa e ainda aparecia bem no ataque, como aconteceu aos 15 minutos. Jean Mota, que entrara em lugar de Yuri, recolheu na ponta e levantou para o defensor, que cabeceou perto do poste esquerdo.

Sem a intensidade que lhe vinha sendo peculiar, o Peixe era pressionado. Aos 26 minutos, Sidcley foi acionado perto do bico esquerdo da área, chutou por baixo e Vanderlei espalmou mais uma. Um minuto depois, Nikão pegou sobra, devolveu para a área e Jonathan acertou a trave. Aos 28, Sidcley arrematou novamente, e o "milagreiro" da Vila Belmiro interveio outra vez.

Como diz o jargão do futebol, "quem não faz, leva". Mais eficiente, o Santos converteu uma das poucas chances que teve no segundo tempo e fez 1 a 0. Aos 33 minutos, Lucas Lima puxou o contra-ataque e abriu para Ricardo Oliveira, que cruzou para Bruno Henrique mandar para a rede.

A parte final da partida foi de abafa do Furacão, que precisava de três gols, mas não fez nenhum. Guilherme bateu de fora da área, aos 38 minutos, e Vanderlei defendeu. Aos 39, sozinho na área, Lucho González encobriu o travessão. A última tentativa, também de Guilherme, aos 45, passou ao lado do alvo.



Ficha técnica:.

Santos: Vanderlei; Victor Ferraz, Veríssimo, David Braz e Zeca; Alison (Daniel Guedes), Yuri (Jean Mota) e Lucas Lima; Copete (Thiago Ribeiro), Bruno Henrique e Ricardo Oliveira. Técnico: Levir Culpi.

Atlético-PR: Weverton; Jonathan, Paulo André, Thiago Heleno e Fabrício; Matheus Rossetto (Bruno Guimarães) e Lucho González; Guilherme, Nikão e Sidcley (Pablo); Ribamar (Éderson). Técnico: Fabiano Soares.

Árbitro: Mauro Vigliano (Argentina), auxiliado pelos compatriotas Diego Bonfá e Gabriel Chade.

Cartão amarelo: Guilherme (Atlético-PR).

Gol: Bruno Henrique (Santos).

Estádio: Vila Belmiro, em Santos (SP).

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo