Esporte

No meio do nada, Saransk quer ganhar visibilidade com a Copa do Mundo

03/09/2017 10h02

Saransk (Rússia), 3 set (EFE).- "Onde está Saransk?", é a pergunta que todos se fazem na Rússia, sem entender como uma cidade de aproximadamente 300 mil habitantes foi escolhida para receber quatro jogos da fase de grupos da Copa do Mundo de 2018.

"Saransk está no coração da Rússia ", respondeu o prefeito Pyotr Tultayev, em entrevista exclusiva à Agência Efe.

Capital da República da Mordóvia, localizada na parte central da planície europeia ocidental do país, entre os rios Oka e Sura, a cidade vive a expectativa pelo sorteio dos grupos, que acontecerá em 1º de dezembro deste ano, para saber que partidas verá.

"Receberemos jogadores de oito países diferentes, algo que a política não pode oferecer. O esporte aproxima os povos, por isso, queremos seleções de todos os continentes, para que o mundo nos conheça. Queremos equipes latinas, como o Brasil, africanos, asiáticos, como o Japão", garantiu Tultayev.

A única certeza até o momento é que Saransk será palco, em 25 de junho, de jogo envolvendo o cabeça de chave do grupo B, pela última rodada. Além disso, serão disputadas na cidade partidas válidas pelas chaves C, G e H.

Nos bastidores, se aponta que a escolha da cidade como uma das sedes da Copa do Mundo foi viabilizada a partir de um acordo entre o presidente da Rússia, Vladimir Putin, e o ex-governador de Mordóvia.

Tultayev rejeita qualquer insinuação e credita a presença de Saransk na lista pela boa estrutura existente no entorno da Mordovia Arena, como a presença da estação de trem, além da proximidade com um aeroporto internacional, localizado a menos de 15 minutos.

"Tenho grande respeito por Moscou ou Nova York, mas não devem ser só grandes cidades, de 5 milhões de habitantes, a receber grandes competições esportivas", rebateu o prefeito sobre as críticas pelas dimensões da cidade.

Além disso, Saransk é apontada como a cidade mais segura da Rússia e se destaca pela limpeza urbana. De acordo com Tultayev, não deve nada a qualquer outra cidade europeia.

"Pequena, compacta, confortável e segura. Por isso, nos escolheram. Além disso, a Copa está mudando a cidade e toda a população. Abre o mundo para Saransk, também nos torna mais livres, já que nos faz sentir que somos parte do mundo", garantiu.

Na região ainda há um hábito de se relacionar com estrangeiros, já que existe uma universidade que recebe estudantes de mais de 60 países. Os habitantes, por sua vez, se dividem entre russos, mordovianos e tártaros, que se uniram para apoiar a realização do Mundial na cidade.

"Não há ursos nas ruas. O torcedor estrangeiro não tem nada a temer", brincou o prefeito.

Em Saransk, os quatro jogos da Copa serão disputados na Mordovia Arena, que tem design muito parecido ao da Allianz Arena, localizada em Munique na Alemanha. O estádio tem capacidade para pouco mais de 44 mil pessoas, mas haverá redução para 30 mil após o torneio.

A instalação será inaugurada oficialmente em maio de 2018, segundo revelou Tultayev à Efe.

Embora tente ganhar visibilidade pelo torneio esportivo, hoje Saransk é mais conhecida por abrigar o ator francês Gérard Depardieu, que recebeu cidadania russa das mãos de Vladimir Putin e se recenseou como cidadão de Saransk.

O astro deixou o país de origem como forma de protestar contra a alta taxação de impostos.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário do UOL. É grátis!

Mais Esporte

Topo