Esporte

Sírios tomam ruas para comemorar manutenção do sonho de ir à Copa do Mundo

05/09/2017 16h55

George Bagdadi.

Damasco, 5 set (EFE).- Dezenas de milhares de sírios tomaram as ruas de Damasco nesta terça-feira, depois do empate da seleção do país com o Irã em 2 a 2, que valeu vaga na repescagem das Eliminatórias asiáticas para a Copa do Mundo de 2018.

A Síria ia sendo desclassificada do torneio, até o gol que levou ao delírio os torcedores, marcado pelo atacante Omar Al Somah, aos 48 minutos do segundo tempo.

Antes disso, no jogo disputado em Teerã, os visitantes largaram na frente com o volante Tamer Haj Mohamad, aos 13 da etapa inicial. O atacante Sardar Azmoun balançou as redes duas vezes para os classifiados iranianos, virando momentaneamente o placar.

Com os resultado, os sírios chegaram a 13 pontos, terminando na terceira colocação, atrás do Irã, que fez 22, e da Coreia do Sul, que terminou com 15. Agora, a seleção que nunca disputou um Mundial encarará a Austrália, pela repescagem continental.

Se derrotar os 'Socceroos', na sequência, será a vez de encarar o quarto colocado das Eliminatórias da Concacaf, que deverá ficar entre Estados Unidos, Honduras, Panamá e Trinidad e Tobago - México e Costa Rica também disputam o torneio das Américas Central e do Norte, com boa vantagem nas duas primeiras posições.

Nas ruas de Damasco, as principais praças e avenidas foram tomadas, depois que seis telões foram espalhados pela cidade - outros 24 no restante do país - para que as pessoas pudessem acompanhar juntas o jogo decisivo.

"Síria, Síria, Síria", gritavam os torcedores, em meio a festa pelo resultado, ignorando, inclusive, que a vitória no duelo com o Irã teria dado a vaga direta na Copa do Mundo, sem necessidade de passar por repescagens.

Vale lembrar que, por questões de segurança, a Fifa determinou que a seleção síria atue em campo neutro. Na segunda fase das Eliminatórias asiáticas, foi mandante em Omã, e na terceira, jogou na Malásia. Os torcedores, no entanto, ignoram a distância para exaltar o feito.

"É um sentimento muito profundo, quando seu país tem a chance de se classificar para a Copa do Mundo pela primeira vez. Eu acompanho e torço pelo Brasil, vibrava quando venciam, sofria quando perdiam, mas não podia imaginar quando é sua seleção que compete", garantiu Samir Abdulhaq, de 23 anos.

Nas redes sociais, muitos torcedores se manifestaram sobre a ida à respescagem. No Twitter, os sírios utilizaram uma hashtag, em árabe, que pode ser traduzida como #SimPodemos. No Facebook, usuários colocaram a bandeira do país como foto do perfil.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo