Esporte

Dirigente da candidatura de Paris diz que Jogos de 2024 podem mudar sociedade

08/09/2017 19h36

(Corrige último parágrafo).

Paris, 8 set (EFE).- O ex-canoísta Tony Estanguet, co-presidente da candidatura de Paris para sediar os Jogos Olímpicos de 2024 - junto com Bernard Lapasset -, garantiu, em entrevista à Agência Efe, que o evento "pode mudar a sociedade" e admitiu a incumbência de torná-lo atrativo novamente para muitas cidades.

"Para o COI (Comitê Olímpico Internacional), era uma prioridade romper com a dinâmica de despesa crescente, e Paris soube responder a essa demanda. O orçamento estipulado não será ultrapassado", medalhista de ouro olímpico em 2000, 2004 e 2012, na prova do C1 da canoagem.

A partir de quinta-feira, em Lima, acontecerá Sessão do COI, que, entre outras medidas, anunciará Paris como sede dos Jogos de 2024, e Los Angeles dos Jogos de 2028, após acordo firmado a partir de inúmeras desistências de concorrentes, o que não tira a confiança de Estanguet sobre a candidatura para o evento de daqui sete anos.

"É a primeira vez que fazem uma dupla atribuição, mas Paris foi melhor que as demais. Isso é uma vitória", garantiu o dirigente, lembrando que as duas cidades pleiteavam organizar a mesma edição, e os americanos aceitaram esperar mais quatro anos.

Estanguet, que é membro do COI, admitiu que a organização dos Jogos gera "dúvidas" na população, especialmente na Europa, por isso, há um peso maior nestas próximas edições, em que a busca é por menos gastos milionários e maior legado.

"Paris e Los Angeles têm a responsabilidade que, após 2028, haja mais candidatas. Também de demonstrar que os Jogos podem mudar uma sociedade", avaliou.

O co-presidente da candidatura parisiente já adiantou que poucas novas estruturas serão construídas, mas todas seguirão sendo utilizadas após o término das competições, e prometeu a realização de "Jogos excepcionais". Para isso, Estanguet pediu o trabalho conjunto entre os poderes da França.

"Receber 13,5 milhões de visitantes é um desafio formidável, mas a França precisa projetos otimistas, aglutinadores. O presidente, Emmanuel Macron, a prefeita, Anne Hidalgo, a presidente da região, Valérie Pécresse, todos eles podem continuar nos cargos em 2024 e querem o sucesso dos Jogos", garantiu.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário do UOL. É grátis!

Mais Esporte

Topo