Esporte

Ferraris batem, Hamilton vence em Cingapura e abre margem na liderança da F-1

17/09/2017 13h00

Redação Central, 17 set (EFE).- Beneficiado por um acidente na largada que tirou os dois pilotos da Ferrari, o britânico Lewis Hamilton venceu neste domingo o Grande Prêmio de Cingapura de Fórmula 1 e abriu vantagem na liderança do Mundial de Pilotos.

O piloto da Mercedes largou em quinto na prova disputada no circuito de rua de Marina Bay, se aproveitou de um início de corrida turbulento - no qual a dupla da escuderia italiana, o alemão Sebastian Vettel e o finlandês Kimi Raikkonen, se envolveu em uma batida com o holandês Max Verstappen, da Red Bull - e pulou para a liderança, sem mais perdê-la.

Em segundo chegou o outro piloto da Red Bull, o australiano Daniel Ricciardo, e o pódio foi completado pelo companheiro de equipe de Hamilton, o finlandês Valtteri Bottas.

O espanhol Carlos Sainz, da Toro Rosso, foi o quarto colocado, seguido pelo mexicano Sergio Perez, da Force India. A sexta colocação foi do britânico Jolyon Palmer, que pontuou pela primeira vez na principal categoria do automobilismo justamente na semana em que soube que provavelmente não terá carro para a próxima temporada, já que foi anunciado que sua equipe, a Renault, contratou Sainz para 2018.

A zona de pontuação teve ainda, do sétimo ao décimo lugares, nesta ordem, o belga Stoffel Vandoorne (McLaren), o canadense Lance Stroll (Williams) e os franceses Romain Grosjean (Haas) e Esteban Ocon (Force India).

O brasileiro Felipe Massa terminou em 11º, uma posição à frente do alemão Pascal Wehrlein, cuja Sauber foi o último carro dos 20 do grid a completar a prova.

O fim de semana ia se desenhando como de pesadelo pra Hamilton, que saiu em quinto e viu seu principal concorrente pelo título, Vettel, sair na pole. Entretanto, em segundos, o jogo virou a favor do tricampeão mundial.

Na largada, Raikkonen tentou ultrapassar Verstappen por fora, os dois se tocaram e ainda acertaram Vettel. Dos três, apenas o alemão tentou continuar na prova, mas não conseguiu controlar o carro danificado e abandonou, assim como os outros dois envolvidos. Sobrou até para o espanhol Fernando Alonso, que ia assumindo a terceira posição com a McLaren, mas foi atingido pela Red Bull desgovernada do holandês.

A partir de então, Hamilton reinou soberano. O inglês pilotou com segurança mesmo com as variações das condições da pista, que estava bastante molhada no início do GP e foi secando com o passar do tempo.

Ricciardo não o pressionou em momento algum, mesmo com algumas relargadas devido à presença do safety car na pista, mas também não foi atacado por Bottas.

A prova no circuito de Marina Bay também marcou a quebra de um recorde negativo. O alemão Nico Hülkenberg (Renault), que chegou a ser terceiro colocado na primeira metade da corrida, teve problemas mecânicos, não completou e se tornou o piloto com mais largadas a não subir ao pódio, com 129, uma a mais que o compatriota Adrian Sutil.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo