Esporte

Lateral do PSG foi alvo de chantagem por vídeos em que insultava Deschamps

18/09/2017 16h26

Paris, 18 set (EFE).- O lateral-esquerdo Layvin Kurzawa, do Paris Saint-Germain, foi vítima de chantagem, para que não fosse divulgado um vídeo em que mencionava o técnico da seleção francesa, Didier Deschamps.

A emissora de televisão "Europe 1" divulgou nesta segunda-feira a tentativa de extorsão ao jogador, com uma gravação feita com telefone celular em um bar de Paris.

Nas imagens, Kurzawa está rodeado de amigos, fazendo comentários e gestos depreciativos ao se referir a Deschamps.

De acordo com fontes consultadas pela emissora francesa, a polícia conseguiu prender de quatro a cinco integrantes da quadrilha que extorquia o lateral-esquerdo, cobrando cerca de 200 mil euros (R$ 745,8 mil).

Logo que foi feito contato com Kurzawa, ele entrou em contrato com a polícia, e um agente do grupo de combate ao crime organizado, se fez passar por intermediário.

As investigações apontaram que, após tentativas de marcar um encontro, ficou claro que os chantagistas não pretendiam conversar, mas sim, agredir o jogador na saída de casa.

O inquérito está nas mãos do Tribunal de Versalhes, e guarda semelhanças com a extorsão feita ao meia Mathieu Valbuena, por causa de um vídeo com conteúdo sexual, em que há acusações de envolvimento do atacante Karim Benzema.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo