Esporte

Drama cresce: Argentina empata com Peru em casa e vê vaga na Copa mais longe

05/10/2017 22h49

Buenos Aires, 5 out (EFE).- A Argentina viu a vaga na Copa do Mundo do ano que vem ficar um pouco mais distante nesta quinta-feira ao empatar com o Peru em 0 a 0 no estádio La Bombonera, em Buenos Aires, chegar a quatro partidas sem vitória nas Eliminatórias e cair para a sexta posição.

Embora conte com grandes atacantes, entre eles Lionel Messi, a bicampeã mundial tem o segundo pior ataque da competição classificatória, à frente apenas da já eliminada Bolívia e atrás até da lanterna Venezuela.

O Peru, treinado pelo argentino Ricardo Gareca, seguiu à risca o que foi pedido pelo ex-técnico do Palmeiras. Atuou atrás, com Guerrero isolado no ataque e marcou forte, além de ter contado com boa atuação do goleiro Gallese.

A situação da 'Albiceleste', que tem 25 pontos, é desesperadora, mas não irreversível. Na próxima terça-feira, na última rodada, a equipe comandada por Jorge Sampaoli terá que derrotar o eliminado Equador em Quito e torcer para o Chile, terceiro, com 26, não bater o Brasil em São Paulo. Em caso de triunfo de 'La Roja', Messi e companhia disputariam a repescagem contra a Nova Zelândia. Se a Argentina empatar, terá que torcer por uma múltipla combinação de resultados.

Por sua vez, o Peru, quinto colocado, também com 25 pontos, fará confronto direto com a Colômbia, quarta, com 26, em Lima. Quem vencer estará no Mundial.

A grande surpresa da escalação da Argentina foi o centroavante Benedetto, que jogou em casa, já que é atleta do Boca Juniors, mas não correspondeu, perdendo duas chances claras de gol. Icardi, que não tinha ido bem contra a Venezuela, há um mês, ficou no banco, e Higuaín sequer foi convocado.

O Peru teve quatro desfalques, todos por suspensão. O principal deles foi o meia Cueva, do São Paulo, que deu lugar a Peña. O zagueiro Ramos e o meia-atacante Carrillo, titulares habituais, e o meio-campista Hurtado, foram as outras baixas.

A seleção anfitriã teve mais a bola desde o começo, mas não criava muito. O primeiro lance que empolgou a torcida não foi uma finalização, e sim um bonito drible. Aos dez minutos, Acuña colocou entre as pernas de Corzo e cruzou, mas a defesa afastou.

Em jogada ensaiada, aos 13 minutos, Di María cobrou escanteio rasteiro. Messi, "fingindo-se de morto", apareceu por trás da marcação e bateu firme, mas a defesa bloqueou. Aos 19, em lançamento de Biglia para o caraque do Barcelona, o goleiro Gallese saiu antes e segurou.

A 'Albiceleste' ficava em cima, mas sequer finalizava com perigo. Aos 23, Messi fez boa jogada individual, ganhou um pouco na técnica e um pouco na raça, e perdeu. Na sobra, Benedetto brigou, Di María tentou de fora e encobriu a meta.

Com o passar do tempo, as chances foram ficando mais claras. Aos 33, Trauco foi lançado na esquerda e cruzou rasteiro. Farfán se antecipou a Mascherano e, livre, concluiu para fora. Quatro minutos depois, Messi levou sozinho pela esquerda e mirou o ângulo, mas tirou tinta da trave.

Ainda antes do intervalo, aos 45, o camisa 10 da seleção argentina levantou na medida para Benedetto por trás da marcação, mas o centroavante cabeceou por cima.

Logo na volta do vestiário, a bicampeã mundial sufocou o adversário, e Gallese teve muito trabalho. Com menos de um minuto, Benedetto recebeu de Messi e soltou a pancada no peito do goleiro. No rebote, o próprio Messi, de pé direito, carimbou a trave. Em seguida, Biglia encheu o pé de longe, e o camisa 1 desviou para escanteio.

Gallese ia sendo o vilão dos argentinos. Aos dez, em bonita linha de passes, Benedetto fez o pivô e Messi colocou Gómez de frente para o gol, mas ele chutou em cima do arqueiro peruano. Pouco depois, aos 14, o premiado com passe do craque do Barcelona foi Rigoni, que, na pequena área com o goleiro caído, acabou sendo travado, embora o árbitro brasileiro Wilton Sampaio tenha dado tiro de meta.

Mais longe da área, Messi não conseguia concluir e era "obrigado" a servir os companheiros, que não correspondiam. Aos 23, ele tentou novamente com Benedetto, que mais uma vez arrematou em cima do goleiro.

Tamanho era o desespero argentino que Mascherano, de pouquíssimos gols na carreira, arriscou de fora da área aos 31. A bola passou perto, mas foi por cima. Messi também partiu para o "tentar de qualquer jeito", mas o melhor que fez foi chutar em cima da zaga, aos 41.

Quando a maioria esperava um bombardeio para cima de Gallese, quem mais esteve perto de um gol nos acréscimos foi o Peru. Guerrero sofreu falta na meia esquerda, foi a para a bola e cobrou com direção ao ângulo. Romero espalmou e evitou um drama ainda maior para a equipe mandante.



Ficha técnica:.

Argentina: Romero; Mercado, Mascherano, Otamendi e Acuña; Biglia, Banega (Gago) (Pérez) e Gómez; Messi, Di María (Rigoni) e Benedetto. Técnico: Jorge Sampaoli.

Peru: Gallese; Corzo, Araujo, Rodríguez e Trauco; Tapia (Aquino), Yotún e Peña (Cartagena); Farfán (Polo), Flores e Guerrero. Técnico: Ricardo Gareca.

Árbitro: Wilton Sampaio, auxiliado por Kleber Gil e Bruno Boschilia.

Cartões amarelos: Biglia e Acuña (Argentina); Farfán, Tapia e Guerrero (Peru).

Estádio: La Bombonera, em Buenos Aires.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo