Esporte

Nuzman é preso acusado de fraude na escolha do Rio para sediar Olimpíadas

05/10/2017 07h34

Rio de Janeiro, 5 out (EFE).- A Polícia Federal prendeu nesta quinta-feira o presidente do Comitê Olímpico do Brasil (COB), Carlos Arthur Nuzman, devido a sua suposta participação em uma operação de compra de jurados para a escolha do Rio de Janeiro como sede dos Jogos Olímpicos de 2016.

Nuzman, também presidente do Comitê Rio 2016, foi detido em sua casa, na Zona Sul do Rio, como parte da Operação Unfair Play (Jogo Sujo), que cuida da investigação sobre a fraude na escolha da sede olímpica e é um desdobramento da Operação Lava-Jato.

Os agentes também prenderam Leonardo Gryner, diretor-geral de operações do Comitê Rio 2016 e braço direito de Nuzman. Ele também foi detido em sua casa, logo depois do dirigente do COB.

Em setembro, a Promotoria pediu o bloqueio do patrimônio de Nuzman e do empresário Arthur Cesar Soares de Menezes Filho, conhecido como "Rei Arthur", e de sua sócia, por causa de seu envolvimento na compra de votos para a eleição da sede olímpica.

Segundo os investigadores, "trata-se de um esquema altamente sofisticado, que atuava internacionalmente com desenvoltura em uma engenhosa e complexa relação corrupta".

A promotoria brasileira solicitou a colaboração da justiça de Antígua e Barbuda, França, Estados Unidos e Reino Unido.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo