Esporte

Paraguai decepciona, perde para a Venezuela em casa e fica fora da Copa

10/10/2017 22h42

Assunção, 10 out (EFE).- Precisando de uma vitória e uma combinação de resultados para se classificar para a Copa do Mundo de 2018, o Paraguai sequer fez o dever de casa, perdeu para a Venezuela nesta terça-feira, por 1 a 0, e está fora do Mundial da Rússia.

A Copa do Mundo do ano que vem será a segunda consecutiva sem a presença do Paraguai, que já não tinha conseguido a classificação para a edição de 2014, disputada no Brasil.

Contra o lanterna das Eliminatórias Sul-Americanas, os paraguaios pressionaram no primeiro tempo, mas foram apáticos na etapa final. A Venezuela aproveitou e venceu com gol de Herrera aos 38 minutos, após grande jogada de Otero, do Atlético Mineiro.

A decepção da torcida que lotou o Estádio Defensores del Chaco foi ainda maior pelo fato de que, se vencesse, o Paraguai iria à repescagem contra a Nova Zelândia, representante da Oceania.

Com um triunfo, os paraguaios chegariam a 27 pontos, ficariam em quinto lugar e ultrapassariam o Chile, que foi derrotado pelo Brasil por 3 a 0 em São Paulo, e o Peru, que empatou em Lima com a Colômbia, por 1 a 1. No entanto, com estes resultados, os peruanos ficaram com a vaga.

Fora o Peru, que ainda precisa vencer a Nova Zelândia em duas partidas, os representantes da Conmebol que confirmaram presença no Mundial da Rússia foram Uruguai (que venceu a Bolívia por 4 a 2), Argentina (que bateu o Equador também por 3 a 1) e a Colômbia. O Brasil já estava classificado e terminou as Eliminatórias na liderança isolada, com 41 pontos conquistados.

Para o jogo mais do que decisivo, o técnico Francisco Arce fez quatro mudanças em relação à equipe que venceu a Colômbia. O zagueiro Paulo da Silva, que voltava de suspensão, entrou no lugar de Fabián Balbuena, do Corinthians.

No meio-campo, Víctor Cáceres, ex-Flamengo, machucado, foi substituído por Robert Piris. Já Derlis González perdeu a vaga no para Antonio Sanabria, autor do gol do triunfo na última rodada.

Pelo lado da Venezuela, já sem chances de classificação, Rafael Dudamel teve o retorno de Yangel Herrera, um dos destaques da seleção, que substituiu Yeferson Soteldo no meio-campo.

Apesar da necessidade do triunfo para manter vivo o sonho de ir para a Copa, o Paraguai tinha dificuldades para criar jogadas de periogo. Bem postada, a Venezuela marcava bem os donos da casa e impedia trocas de passes mais perto da área.

Sem conseguir penetrar na defesa adversária, os paraguaios começaram a optar pelos cruzamentos. Foi depois de uma bola levantada para Ángel Romero, aos 11 minutos, que o irmão do atacante do Corinthians, Óscar Romero, quase marcou. O jogador pegou bonito, mas o chute foi bloqueado pela zaga venezuelana.

Com o passar do tempo, o Paraguai começou a conseguir criar espaços e quase abriu o placar aos 25. Cecilio Domínguez escapou pela esquerda, foi à linha de fundo e cruzou rasteiro. A bola bateu em Sanabria, no goleiro venezuelano e quicou perto da linha de gol antes de a zaga afastar o perigo.

Era pouco, e o nervosismo começava a ficar evidente. A torcida que lotava o Defensores del Chaco fazia pouco barulho, um reflexo da sonolência da seleção paraguaia dentro de campo. No banco de reservas, Arce tinha a reação oposta. Não parava de gritar pedindo que seus jogadores atuassem melhor.

Os donos da casa voltaram assustar só aos 37 minutos. Depois de falta cobrada por Óscar Romero, Domínguez apareceu na primeira trave, mas cabeceou muito alto. Faríñez só acompanhou.

Apesar do primeiro tempo pouco criativo, o Paraguai voltou para o segundo tempo sem alterações, mesmo caso da Venezuela, que estava mais do que satisfeita com o resultado.

A conversa de Arce nos vestiários tampouco fez efeito nos minutos iniciais. Vontade sobrava aos anfitriões, que pressionavam o adversário, mas faltava qualidade. A alternativa era levantar a bola na área, mas a zaga da Venezuela afastava todas.

Arce resolveu colocar a equipe definitivamente no ataque logo aos 10 minutos da etapa final. Sanabria, autor de um dos gols no último jogo, deu lugar ao veterano Óscar Cardozo, que também marcou contra os colombianos. Já Domínguez saiu para a entrada de Bareiro. Dudamel também mexeu e colocou Soteldo no lugar de Córdova.

Foi a mudança do técnico venezuelano que teve efeito primeiro. Aos 15 minutos, Soteldo puxou contra-ataque pela direita e rolou para chegada de Murillo, que limpou a marcação e chutou firme. Silva precisou se esticar para tocar a bola para a escanteio.

Murillo teve outra chance aos 18. Soteldo iniciou jogada desta vez pela esquerda e lançou o companheiro, que ganhou do zagueiro da corrida e invadiu a área. Silva saiu bem e abafou o chute.

O Paraguai respondeu aos 25. Cardozo serviu de pivô para a chegada de Óscar Romero, que dominou na entrada da área e chutou rasteiro, cruzado. A bola passou perto da trave esquerda de Faríñez.

Aos 30 minutos, Dudamel colocou Otero, do Atlético Mineiro, no lugar de Martínez. E o jogador do Galo quase foi decisivo em seu primeiro lance. O meia-atacante recebeu pela direita e chutou cruzado. Silva espalmou nos pés de Rondón, que, com o gol livre, acabou chutando para o alto.

Aproveitando a apatia paraguaia, Soteldo acertou a travessão de Silva aos 37. O meia, que entrou infernizando o jogo, recebeu pela esquerda, limpou Moreira e chutou de chapa. O goleiro só olhou a bola carimbar o poste e sair pela linha de fundo.

A Venezuela estava mesmo decidida a estragar a hipótese de festa paraguaia. No minuto seguinte, Otero fez boa nova jogada pela direita, foi à linha de fundo e cruzou para trás. Herrera apareceu livre e só teve o trabalho de escolher o canto para marcar.

O gol fez o Paraguai acordar. Aos 41, Óscar Romero arriscou de fora da área, a bola desviou em Gómez e obrigou Faríñez a fazer grande defesa. No rebote, Bareiro cruzou, Gómez tocou de cabeça, mas o goleiro venezuelano conseguiu se esticar e tocar na bola, que ainda bateu no travessão antes de sair pela linha de fundo.

Rojas ainda teve a última chance de empatar aos 52 minutos. O volante saiu livre na cara do goleiro, mas, na hora de finalizar, recuou nas mãos de Faríñez, que fez a defesa em dois tempos, sacramentando a desclassificação do Paraguai.



Ficha Técnica:

Paraguai: Silva; Moreira, Paulo da Silva (Samudio), Gómez e Alonso; Piris, Rojas, Óscar Romero e Domínguez (Bareiro); Ángel Romero e Sanabria (Cardozo). Técnico: Francisco Arce.

Venezuela: Faríñez; Hernández, Chancellor, Ángel e Quijada; Rincón, Herrera, Murillo e Córdova (Soteldo); Martínez (Otero) e Rondón. Técnico: Rafael Dudamel.

Árbitro: Wilton Sampaio (Brasil), auxiliado pelos compatriotas Kleber Lucio Gil e Bruno Boschilia.

Cartões amarelos: Alonso, Rojas e Cardozo (Paraguai); Faríñez, Martínez, Herrera e Otero (Venezuela).

Cartões vermelhos: Gómez (Paraguai); Ángel (Venezuela).

Gols: Herrera (Venezuela).

Estádio: Defensores do Chaco, em Assunção.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo