Esporte

Suécia vence Itália e larga na frente em disputa por vaga na Copa do Mundo

10/11/2017 19h43

Solna (Suécia), 10 nov (EFE).- A Suécia venceu a Itália nesta sexta-feira por 1 a 0, na Friends Arena, em Solna, no primeiro dos dois duelos entre as duas seleções pela repescagem das Eliminatórias europeias, que vale uma das últimas vagas para a Copa do Mundo de 2018.

O único gol da morna partida, que teve poucas oportunidades claras, foi marcado pelo meia Jakob Johansson. O jogador do AEK Atenas, da Grécia, balançou as redes aos 16 do segundo tempo, quatro minutos depois de ter saído do banco de reservas, para substituir o volante Albin Ekdal.

Agora, as duas seleções se reencontrarão no estádio San Siro, em Milão, na próxima segunda-feira. Um empate colocará os suecos no Mundial pela primeira vez desde 2006. A Itália, para não ser o primeiro campeão fora depois de 12 anos, precisará levar a melhor por dois gols de diferença.

Se houver repetição do placar de hoje, haverá disputa de prorrogação, em que o critério de gols marcados fora de casa continuará persistindo. Se a rede não balançar no tempo-extra, a vaga na Copa será definida nas cobranças de pênaltis.

Para o jogo desta sexta-feira, a Suécia não contou com o lateral-direito Mikael Lustig, suspenso por acúmulo de cartões amarelos. Com isso, o jovem Emil Krafth, de 23 anos, foi escalado no 11 inicial. No setor ofensivo, Emil Forsberg era a principal esperança, em seleção que marcou 26 vezes nas Eliminatórias.

Na Itália, o técnico Gianpiero Ventura teve apenas um problema na preparação, o atacante Simone Zaza, que sentiu dores no joelho na véspera da partida. O jogador, no entanto, era mais cotado para ser reserva, com Andrea Belotti e Ciro Immobile formando a dupla de frente.

Os primeiros minutos foram muito movimentados, inclusive, com ânimos acirrados entre as duas seleções. Aos 6 minutos, Darmian acertou belo cruzamento da esquerda e achou Belotti na área. O atacante do Torino subiu bem e cabeceou à direita do gol de Olsen.

Pouco depois, aos 8, a Suécia chegou com muito perigo, em saída atrapalhada da defesa 'azzurra'. Forsberg carregou a bola pela esquerda e serviu Toivonen, que bateu cruzado, em bola que saiu muito perto da trave direita defendida por Buffon.

Após os dois lances, a partida esfriou bastante, tanto é que, apenas aos 24 houve perigo novamente. Forsberg recebeu na entrada da área e emendou de primeira com o pé direito, por cima do gol. Depois disso, houve só luta e nenhuma oportunidade criada.

No segundo tempo, logo aos 3, Olsen precisou fazer grande defesa, quando Candreva cobrou escanteio curto, passando a bola para Verratti, e recebeu mais perto da área, soltando uma bomba, que o goleiro sueco espalmou para escanteio.

A chance clara de gol não tornou o jogo melhor, mas por outro lado, bem mais quente. O atacante Berg protagonizou dois momentos polêmicos, primeiro, aos 12, empurrando Chiellini no campo de ataque sueco. Dois minutos depois, o jogador do Al Ain, dos Emiradores Árabes, acertou cotovelada em De Rossi.

O árbitro turco Cuneyt Çakir, talvez querendo evitar a expulsão do jogador sueco, que havia recebido cartão amarelo no primeiro minuto da etapa inicial, por reclamação, discutiu, gesticulou, mas não voltou a puní-lo.

Enquanto os italianos reclamavam muito, a Suécia foi em busca do gol. Aos 16, após cobrança de lateral da direita, Toivonen fez o pivô e ajeitou a bola para Johansson. O meia, que havia substituído Ekdal minutos antes, bateu e contou com desvio em De Rossi para abrir o placar.

A Itália tentou reagir e, por muito pouco não conseguiu deixar tudo igual aos 25, quando Verratti recebeu na esquerda e serviu Darmian. O lateral-esquerdo dominou na meia-lua e soltou a bomba, acertando a trave esquerda defendida por Olsen.

Na reta final do duelo, a Suécia se fechou, enquanto a Itália tentava pressionar. Aos 46, Immobile protagonizou lance que resumiu a atuação da 'Azzurra', ao receber na área e bater bizarramente na bola, que saiu quase na bandeirinha de escanteio.



Ficha técnica:.

Suécia: Olsen; Krafth (Svensson), Lindelof, Granqvist e Augustinsson; Sebastian Larsson, Ekdal (Johansson), Claesson e Forsberg; Toivonen e Berg (Thelin). Técnico: Jan Andersson.

Itália: Buffon; Barzagli, Bonucci e Chiellini; Candreva, Parolo, De Rossi, Verratti (Insigne) e Darmian; Belotti (Éder) e Immobile. Técnico: Gianpiero Ventura.

Árbitro: Cuneyt Çakir (Turquia), auxiliado pelos compatriotsa Bahattin Duran e Tarik Ongun.

Gol: Johansson (Suécia).

Cartões amarelos: Berg (Suécia); e Verratti (Itália).

Estádio: Friends Arena, em Solna (Suécia).

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo