Esporte

Fundação de jogador dá esperança para crianças refugiadas através do futebol

12/11/2017 10h09

Carlos García.

Paços de Ferreira (Portugal), 12 nov (EFE).- O meia-atacante Awer Mabil, que nasceu no Quênia, se naturalizou australiano e joga atualmente no Paços de Ferreira, de Portugal, criou uma fundação para ajudar os refugiados do campo de Kakuma, onde nasceu e viveu até os 10 anos de idade, com toda a família.

Contratado por empréstimo no início desta temporada pelo clube português, junto ao Midtjylland, da Dinamarca, o jovem jogador, de 22 anos, garantiu que a fundação "Barefoot to Boots" (De descalço às chuteiras, em tradução livre), visa melhorar a vida das pessoas no local aonde chegou, fugindo de conflito armado no Sudão do Sul.

No campo, Mabil jogava futebol com os amigos, em momentos que podia esquecer um pouco a dura realidade, de morar em local onde estavam 170 mil pessoas, entre elas 14 mil órfãos.

"Passava o dia todo jogando bola", relembra o jogador, com passagem pelas seleções de base australianas, que vem ganhando espaço no setor ofensivo do Paços de Ferreira.

Mabil deixou o campo de refugiados aos 10 anos, quando a família teve a oportunidade de se mudar para a Austrália. O esporte favorito seguiu o acompanhando, nas ruas de bairro do norte de Adelaide.

O jovem foi descoberto por olheiros do Adelaide United, que o levaram para atuar na base do clube, que disputa a primeira divisão do campeonato do país. Ainda em 2012, com 17 anos passou a treinar com o time principal, no qual estreou em janeiro do ano seguinte.

O primeiro contrato profissional permitiu com que o então adolescente ajudasse amigos, familiares e a grande maioria das pessoas que ainda seguia no campo de Kakuma. Mabil passou a enviar bolas, uniformes e chuteiras para as crianças do local.

O despontar da carreira permitiu que empresários e dirigentes conhecessem a iniciativa do jovem jogador, como ele mesmo admite.

"A fundação cresceu e agora tem objetivos maiores", garante.

Apesar do foco, a organização criada pelo meia-atacante do Paços de Ferreira já foi além de Kakuna, obtendo donativos para campos de refugiados existentes na Turquia, Líbano e Uganda.

Mabil contou à Agência Efe que, em breve, irá ao campo de refugiados para conseguir entregar tudo o que conseguiu arrecadar, além de aproveitar a oportunidade para reencontrar velhos amigos e parentes. Depois, o meia-atacante espera seguir crescendo na carreira.

"Estou evoluindo muito, jogando em uma das sete melhores ligas do mundo", avaliou o australiano.

Na temporada passada, o jogador nascido no Quênia esteve emprestado ao Esbjerg, também da Dinamarca. O desempenho valeu um contrato renovado até 2020 com o Midtjylland. A partir daí, o fã de Cristiano Ronaldo, Neymar e Lionel Messi espera dar novo salto.

"Quero jogar em alguma das ligas mais importantes do mundo, a da Espanha ou Inglaterra", diz o ambicioso jovem.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo