Topo

Copa 2018

De algoz a herói: Gareca se redime após classificação peruana para Copa

Marty Melville/AFP
Ricardo Gareca ajudou a levar o Peru para a Copa Imagem: Marty Melville/AFP

16/11/2017 11h22

O argentino Ricardo Gareca foi de carrasco a herói da seleção peruana, sendo um dos grandes protagonistas da histórica classificação da 'Blanqirroja' para a Copa do Mundo de 2018, na Rússia, encerrando jejum de 36 anos.

O ex-comandante do Palmeiras, no dia 30 de junho de 1985, defendendo a Argentina, marcou o gol, aos 36 minutos do segundo tempo, que decretou empate com o Peru em 2 a 2, no Estádio Monumental de Núñez, em Buenos Aires.

Na ocasião, as duas seleções estavam no grupo 1 das Eliminatórias sul-americanas, e, na última rodada da competição, o vencedor iria diretamente para o Mundial, que seria disputado no México, e vencido pela 'Albiceleste'.

Aos peruanos, do craque Juan Carlos Oblitas, coube ter que participar de repescagem continental, em que foram eliminados pelo Chile, nas semifinais, com duas derrotas. Posteriormente, a 'Roja' acabou batida pelo Paraguai, que também foi à Copa.

Depois disso, a 'Blanqirroja' colecionou decepções, ficando, por exemplo, sem vencer um jogo sequer em duas edições seguidas das Eliminatórias, para os Mundiais de 1990 e 1994. Para o torneio que seria disputado na França, há quase 20 anos, a vaga quase veio, sendo perdida no saldo de gols para os chilenos.

Gareca ajudou a tirar a seleção peruana da Copa de 1986, mas não conseguiu disputar o torneio. O então jogador do América de Cáli, da Colômbia, acabou ficando fora da lista de 22 convocados pelo técnico Carlos Bilardo.

Ontem, os peruanos voltaram graças a vitória sobre a Nova Zelândia por 2 a 0, no Estádio Nacional, em Lima, já que a partida de ida, havia terminado empatada sem gols. Com o resultado na respescagem intercontinental das Eliminatórias, o técnico argentino, enfim, vai poder disputar um Mundial.

Gareca, de 59 anos e conhecido na Argentina e Colômbia como 'El Tigre', já se tornou um ícone no Peru. O cabelo longo e loiro, o rosto magro e enrugado, inclusive, faz com que seja chamado de Iggy Pop, devido a semelhança com o veterano roqueiro.

Os elogios ao ex-Palmeiras no país que ajudou a levar para a Copa vêm também pelo comportamento, sempre comedido, que virou sinômino de trabalho silencioso e eficiente. Curiosamente, características que trouxeram desconfiança em março de 2015, quando assumiu a seleção.

Em três meses apenas, conseguiu levar a 'Blanqirroja' às semifinais da Copa América, disputada no Chile. Isso, pouco depois de má campanha nas Eliminatórias para a Copa de 2014, no Brasil.

Sem veteranos como o atacante Claudio Pizarro e o meia Juan Manuel Vargas, até então fundamentais na equipe, alcançou uma épica recuperação no torneio de classificação para o Mundial do próximo ano. Ao todo, foram 21 pontos nas 11 últimas partidas.

O Peru teve, inclusive, chance de se classificar de maneira direta. Para isso, precisava ter vencido, justamente Argentina e Colômbia, países com que Gareca tem forte ligação. Os empates em 0 a 0 e 1 a 1, respectivamente, determinaram a necessidade de disputar a repescagem.
 

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Copa 2018