Esporte

Vettel luta contra domínio da Mercedes em Abu Dhabi pelo vice; Massa dá adeus

23/11/2017 12h09

Abu Dhabi, 23 nov (EFE).- A Mercedes tentará manter neste fim de semana a hegemonia no Grande Prêmio de Abu Dhabi, que domina desde 2014, na última etapa do Campeonato Mundial de Fórmula 1, em que o alemão Sebastian Vettel, da Ferrari, deve confirmar o vice-campeonato e Felipe Massa, da Williams se despede da categoria.

Com os títulos de pilotos e construtores já decididos, para o britânico Lewis Hamilton e a escuderia prateada, respectivamente, a 20ª prova da temporada chega com atrações pontuais, para desespero dos novos organizadores da competição, que tentam aumentar os índices de audiência e o engajamento do público com a F-1.

Ao longo do ano, a Liberty Media, liderado pelo americano Chase Carey, que sucedeu o grupo liderado pelo britânico Bernie Ecclestone realizou inúmeras ações, na busca de melhorar a imagem da Fórmula 1. A etapa final com poucos atrativos, sem dúvida, é um duro golpe no objetivo.

Vettel, com 302 pontos, chega em Abu Dhabi disputando o segundo lugar com o finlandês Valtteri Bottas, da Mercedes, que tem 280, mas até esta briga tem pouca atração, já que o alemão precisa apenas alcançar a oitava colocação para ser vice-campeão, mesmo que o rival consiga vencer.

O ex-companheiro de Massa na Williams, aliás, mesmo que subo ao pódio, na segunda posição, estará fora da briga. Com isso, o retrospecto da Mercedes será fundamental para o piloto, além de uma jornada desastrosa para o adversário.

No circuito de Yas Marina, a Mercedes vem dominando de forma absoluta. Nos dois últimos anos, a equipe conseguiu dobradinha no treino de classificação e na corrida. Apenas em 2014 essa situação não se repetiu, já que o alemão Nico Rosberg teve problemas e fechou a prova em 14º, perdendo o título para Hamilton.

Vettel, no entanto, também não pode reclamar dos últimos resultados em Abu Dhabi, já que foi oitavo, em 2014, quarto, em 2015, e terceiro, em 2016. Todas as posições alcançadas nestas edições, garantiriam o vice neste ano.

Ainda menos badalada é a briga pelo quarto lugar do campeonato, embora a disputa esteja mais acirrada entre o australiano Daniel Ricciardo, da Red Bull, que tem 200 pontos, e o finlandês Kimi Raikkonen, da Ferrari, que tem 193.

Felipe Massa, que encerrará neste domingo uma trajetória iniciada em 2002 na Fórmula 1, como piloto da Sauber, ocupa a décima colocação na tabela, com 42 pontos, e sonha em repetir a atuação de 2014 na pista, para conseguir ultrapassar o espanhol Carlos Sainz, agora na Renault, que marcou 54 no ano.

Há três temporadas, o brasileiro, já na Williams, se aproveitou da quebra de Rosberg e terminou em segundo, chegando a ameaçar Hamilton. Este foi o melhor resultado do veterano, de 36 anos, nas últimas edições do Mundial, em que largou 268 vezes, venceu 11, subiu 41 ao pódio e conseguiu 16 poles.

O sinal verde para os carros irem à pista da Yas Marina acontecerá nesta sexta-feira, às 7h (de Brasília), com o primeiro de três treinos livres. No dia seguinte, às 11h, acontecerá a sessão de classificação, e, no domingo, no mesmo horário, será a largada para as 55 voltas da prova, totalizando 305,5 quilômetros.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo