Topo

Esporte

Prefeito condiciona mudança de sede do Masters de Miami a acerto de dívidas

06/12/2017 18h00

Miami, 6 dez (EFE).- O prefeito do condado de Miami-Dade, Carlos Giménez, disse que o acordo para o mudança do Masters 1000 de Miami para o Hard Rock Stadium só será colocado em prática caso a organização do torneio salde dívidas com a administração local, segundo informações passadas à Agência Efe pelo porta-voz do governante, Mike Hernández.

O acordo entre o condado e o torneio da ATP assinado na semana passada teve uma reviravolta nesta terça, depois que as autoridades locais modificaram as condições do pacto por terem sido informadas que o valor devido é maior que o previsto.

"O prefeito não sabia que existia outra auditoria. É muito provável que devam muito mais. Não quer que paguem mais do que devem, mas o que devem", esclareceu Hernández.

Os responsáveis pelo torneio se opuseram à nova proposta do prefeito, que quer que uma terceira parte, independente, determine o valor a ser pago pelo Masters 1000.

A organização, por sua vez, se remete ao acordo assinado com o condado há uma semana, no qual se comprometeu a pagar US$ 1,5 milhão para transferir a competição de sua tradicional localização de Key Biscayne par o Hard Rock, casa do time de futebol americano Miami Dolphins.

A mudança de última hora em relação ao acordo por parte do condado coloca em xeque o futuro do torneio. Isso porque o vice-presidente da IMG, empresa que dirige a competição, Wendy Elkin, declarou que, diante desse impasse, o evento corre "grave risco de deixar Miami".

A IMG, responsável por outros torneios do circuito, entre eles o Rio Open, já manifestou em algumas ocasiões o desejo de deixar Miami, cidade com a qual tem contrato até 2023, caso não consiga uma nova sede. A atual não pode ser modificada nem modernizada.

Contudo, Hernández disse que o prefeito de Miami-Dade continua otimista a respeito do futuro do torneio na cidade, já que para desfazer o atual contrato o torneio teria de pagar cerca de US$ 1 milhão até 2023.

No Brasil, foi especulado que o Rio de Janeiro poderia brigar para ficar com o Masters 1000 de Miami. Entretanto, o diretor do Rio Open, Luiz Carvalho, negou a possibilidade em diversas ocasiões.

"Há muita especulação quanto a Miami. Nós somos da mesma família, da IMG, e internamente sempre se soube que isso não era uma opção. Miami é um torneio de muitos anos de tradição, num mercado incrível para a ATP. Eles estão mudando de casa. Eu vi o projeto, eles estão super empenhados, com uma logística incrível. A gente sempre focou mais na nossa parte, como fazer o nosso torneio crescer não necessariamente com uma data disponível, mas com melhores atletas, melhor estrutura", esclareceu Luiz nesta terça, durante o evento de lançamento do Rio Open do ano que vem.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte