Topo

Esporte

Promotoria de Istambul pede prisão de pivô do New York Knicks

20/12/2017 13h32

Istambul, 20 dez (EFE).- O Ministério Público de Istambul pediu nesta terça-feira que o jogador de basquete turco Enes Kanter, do New York Knicks, seja preso por período de um a quatro anos, devido mensagens contrárias ao presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan.

As "injúrias", conforme classificou a Promotoria, foram proferidas pelo pivô em maio de 2016, por meio do Twitter. No mês seguinte, uma investigação contra o atleta foi aberta.

Kanter, que já defendeu Utah Jazz e Oklahoma City Thunder na NBA, depois de vestir a camisa do Fenerbahçe, foi acusado pelo Ministério Público de ter "difamado e insultado" Erdogan, em série de mensagens postadas no microblog.

O jogador dos Knicks admite ser seguidor do clérigo turco Fethullah Gülen. Desde o rompimento do pensador com o governo islamita do país, no fim de 2013, o pivô não voltou mais para o país de origem.

A conta no Twitter de Kanter, além disso, está suspensa na Turquia, onde o atleta ainda é acusado de "fazer parte de uma organização terrorista, em referência ao Movimento Gülen, acusado de tentar golpe de Estado em julho de 2016.

Por causa disso, existe uma ordem de detenção internacional contra o pivô, que teve anulado o passaporte. Em 20 de maio deste ano, Kanter chegou a ser detido na Romênia, por não ter passaporte válido, antes de conseguir viajar para os Estados Unidos.

Mais Esporte