Topo

Esporte

Fifa pedirá a Marin restituição dos valores envolvidos em corrupção

 REUTERS/Brendan McDermid
Marin ficou cinco meses na Suíça antes da extradição para os EUA Imagem: REUTERS/Brendan McDermid

22/12/2017 18h42

A Fifa informou que pedirá indenização a José Maria Marin, condenado na sexta-feira, nos Estados Unidos, por seis crimes.

A entidade que regula o futebol mundial destacou que aguardou a condenação da Justiça norte-americana para “iniciar providências para restituição e recuperação das perdas ocasionadas pela falta de conduta dos envolvidos”.

O aviso vale não apenas para Marin, mas para Juan Angel Napout, ex-presidente da Conmebol, também condenado nos EUA.

A Fifa afirmou nesta sexta-feira, através de um porta-voz, que se considera "uma vítima" dos casos pelos quais o Marín e Napout foram considerados culpados de corrupção por uma corte federal de Nova York.

"Como o Departamento de Justiça dos Estados Unidos reconheceu mais uma vez durante o julgamento, a Fifa é vítima do suposto crime tratado no julgamento", disse a entidade.

O dirigente brasileiro, de 85 anos, teve pedido de prisão imediata feito pela promotoria do caso, mas a pena que receberá pelos crimes será conhecida apenas no ano que vem.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte