Esporte

Brasil fica fora do pódio em São Silvestre dominada por atletas africanos

31/12/2017 11h43

São Paulo, 31 dez (EFE).- O Brasil ficou fora neste domingo do pódio da 93ª edição da Corrida de São Silvestre, que encerra o calendário esportivo do país, em dia de vitória do etíope naturalizado bareinita Dawitt Admasu, que já havia sido campeão em 2014, e da queniana Flomena Cheyech, vice no ano passado.

Nas ruas do centro da cidade de São Paulo, os atletas nascidos em Etiópia e Quênia ampliaram hegemonia que já vem desde 2011. Desde então, as provas masculina e feminina sempre têm fundista de uma das duas nações na primeira colocação.

Entre os homens, o último "intruso" a ser campeão foi o brasileiro Marílson Gomes dos Santos, em 2010. Já na disputa envolvendo as mulheres, a brasileira Lucélia Peres ganhou em 2006, antes de ser iniciado o domínio dos países africanos.

Hoje, Admasu arrancou nos cinco últimos quilômetros, para cruzar a linha de chegada na frente com o tempo de 44min17s. Após confirmar a vitória, o etíope naturalizado bairenita desabou no solo e chegou a ser atendido pela equipe médica da competição.

O etíope Belay Bezabh ficou na segunda colocação, seguido pelo queniano Edwin Rotich, que chegou a liderar a prova, mesmo depois de ter caído, ainda no início da disputa, mas não conseguiu manter o ritmo. O bairenita Birhanu Balew e queniano Paul Kipchumba, em quarto e quinto, completaram o pódio.

O melhor brasileiro desta edição da São Silvestre foi Ederson Vilela, que terminou na 11ª colocação, com o tempo de 46min59s.

No feminino, Flomena Cheyech garantiu o segundo título consecutivo do Quênia, que ficou na frente com Jemima Sumgong - que não participou da edição deste ano -, em 2016. A fundista disparou ainda no começo do percurso de 15 quilômetros e venceu com marca de 49min15s.

Na sequência, vieram quatro corredoras da Etiópia, na ordem, Sintayehu Hailemichael, Birhane Dibaba e Wude Ayalew Yimer, esta última, que havia levado a melhor em 2008, 2014 e 2015 e que repete o quarto lugar do ano passado. A queniana Paiskalia Chepkorir completou o pódio.

Entre as fundistas do Brasil, a melhor colocada foi Joziane Silva Cardoso, que foi a melhor do país nas provas de elite em 2017, ao concluir a prova na décima colocação.



Confira o pódio da 93ª edição da Corrida Internacional de São Silvestre:.



Masculino:.

.1. Dawitt Admasu (Etiópia) 44min17s.

.2. Belay Bezabh (Etiópia) 44min33s.

.3. Edwin Rotich (Quênia) 44min43s.

.4. Birhanu Balew (Bahrein) 45min06s.

.5. Paul Kipchumba (Quênia) 45min28s.



Feminino::.

.1. Flomena Cheyech (Quênia) 50min18s.

.2. Sintayehu Hailemichael (Etiópia) 50min55s.

.3. Birhane Dibaba (Etiópia) 50min77s.

.4. Wude Ayalew Yimer (Etiópia) 51min35s.

.5. Paiskalia Chepkorir (Quênia) 51min55s.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo