Topo

Esporte

Técnico do Boca evita julgar jogadores do clube acusados de violência sexual

19/01/2018 17h04

Buenos Aires, 19 jan (EFE).- O técnico do Boca Juniors, Guillermo Barros Schelotto, evitou julgar os colombianos Edwin Cardona e Wilmar Barrios, acusados por duas mulheres de violência sexual, e disse que eles serão reincorporados à equipe na próxima terça-feira.

"Não sou eu quem deve julgar essa situação. Isso nos fez viver uma situação incômoda. Não podíamos fazer nada, eu não sabia o que tinha ocorrido e não conseguíamos treinar normalmente", disse Schelotto durante uma entrevista coletiva em Mar del Plata.

O técnico afastou Cardona e Barrios do Torneio de Verão, disputado em Mar del Plata, para que os dois resolvessem a questão em Buenos Aires. Depois de empatar por 2 a 2 contra o Aldovisi na quarta-feira, o Boca enfrenta o River Plate na competição.

O grupo descansa na segunda-feira e volta a treinar na terça.

"Se os colombianos forem reincorporados na semana que vem, terão que estar 100% para jogar no Boca. A Justiça avaliará o que ocorreu. Não podemos perder o rumo. Temos que continuar treinando e nos preparando para ganhar a próxima partida", disse o técnico.

Schelotto também falou que prefere que os jogadores se exponham pouco nas redes sociais, evitando assim virar notícia por questões extracampo.

"Essas coisas não podem nos distrair, nós mantemos o desejo de brigar pelo título", destacou o treinador.

A primeira partida oficial do Boca neste ano será no dia 27 de janeiro contra o Colón, em La Bombonera.

Mais Esporte