Topo

Esporte

Ex-médico da equipe de ginástica dos EUA é condenado por abusos sexuais

24/01/2018 17h33

Washington, 24 jan (EFE).- O ex-médico da equipe de ginástica dos Estado Unidos Larry Nassar foi condenado nesta quarta-feira a um mínimo de 40 anos de prisão e um máximo de 175 anos por abusar de mais de 100 jovens atletas.

A decisão judicial foi dada após uma semana de audiências que contaram com o depoimento de mais de 150 garotas e mulheres, incluindo campeãs olímpicas, que acusaram o médico de 54 anos de abuso sexual em um tribunal de Lansing, no estado de Michigan.

"É meu privilégio condenar você a 40 anos. Você é um perigo. Você continua sendo um perigo, não merece sair da prisão nunca mais", declarou a juíza federal Rosemarie Aquilina ao proclamar sua sentença. "Acabo de assinar a sua sentença de morte", acrescentou.

A condenação, que é parte de um acordo com Nassar depois que ele confessou dez acusações de agressão sexual em dois condados de Michigan, se junta a uma sentença federal de 60 anos que ele já está cumprindo por posse de pornografia infantil.

Concretamente, o ex-médico da equipe americana se declarou culpado em novembro de sete acusações de agressão sexual em primeiro grau no condado de Ingham, bem como de três adicionais no condado de Eaton, do mesmo estado, onde será sentenciado na próxima semana.

Em depoimento antes de ter sido condenado, Nassar pediu desculpas às vítimas: "Não há palavras para expressar a profundidade e a amplitude de quanto eu sinto muito", declarou.

A audiência começou na terça-feira da semana passada, e a expectativa era a de que durasse quatro dias, com relatos de 88 vítimas. Entretanto, se prolongou por uma semana, já que mais meninas se apresentaram para dar seu testemunho.

A imprensa local chamou de "dilaceradores" os relatos dos abusos de Nassar, que já tinham sido denunciados por algumas vítimas à Universidade Estatal de Michigan, onde o médico trabalhava.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte