Topo

Esporte

Presidente do COI evita falar sobre recurso de atletas russos na CAS

07/02/2018 11h42

Pyeongchang (Coreia do Sul), 7 fev (EFE).- O alemão Thomas Bach, presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI) evitou falar nesta quarta-feira sobre a denúncia de atletas russos junto a Corte Arbitral do Esporte (CAS), contra o impedimento de participar dos Jogos Olímpicos de Inverno de Pyeongchang, na Coreia do Sul.

"As análises estão em andamento. Espero que tenhamos, o mais rapidamente possível, a resposta da CAS. Não sei mais que isso. Não vou especular", disse o dirigente, em entrevista coletiva realizada após Assembleia do COI, na Coreia do Sul.

Ontem, atletas russos absolvidos pela Corte Arbitral do Esporte denunciaram, junto ao próprio tribunal, o Comitê Olímpico Internacional, pelo impedimento de participarem dos Jogos Olímpicos de PyeongChang.

De acordo com a agência de notícias pública da Rússia, "RIA Novosti", 13 atletas e mais dois técnicos entraram com a queixa, pedindo que o caso seja analisado entre hoje e amanhã, para que possam disputar a competição, que será aberta nesta sexta-feira.

"Acredito que temos bons argumentos", se limitou a dizer Bach, sobre a defesa da entidade.

O presidente do COI voltou a lamentar a decisão da CAS, tomada na semana passada de absolver 28 dos 42 atletas banidos do esporte pelo comitê, por uso de substâncias ilegais durante os Jogos de Inverno de Sochi, em 2014, a classificando como "extremamente decepcionante".

O Comitê Olímpico Russo está suspenso pelo Comitê Olímpico Internacional devido a existência de um esquema de doping patrocinado pelo governo, apontada pelo relatório McLaren, feito a pedido da Agência Mundial Antidoping (Wada).

A entidade, até o momento, convicou 168 atletas que considera limpos, deixando outros fora que, inclusive, nunca testaram positivos em exames.

Mais Esporte