Topo

Esporte

Com torcida de longe, Flamengo vacila no fim e cede empate para o River

28/02/2018 23h45

Rio de Janeiro, 28 fev (EFE).- O Flamengo sofreu gol no fim e estreou na Taça Libertadores empatando com o River Plate em 2 a 2, em jogo marcado pela ausência de público no Estádio Olímpico Nílton Santos, devido aos incidentes violentos acontecidos na final da Copa Sul-Americana, no ano passado.

Punido com a obrigação de atuar em duas partidas com portões fechados, devido as brigas nos arredores do Maracanã, antes do duelo com o Independiente, o time rubro-negro acabou saindo de campo sem a vitória devido gol do volante uruguaio Camilo Mayada, marcado aos 41 minutos do segundo tempo.

A rede só balançou na partida, aliás, na etapa complementar. Aos 8, o atacante Henrique Dourado balançou as redes cobrando pênalti. No minuto seguinte, outro uruguaio, o atacante Rodrigo Mora, deixou tudo igual. Aos 21, Everton chegou a desempatar, deixando o Fla muito perto dos três pontos.

A primeira rodada do grupo 4 da Libertadores será encerrada amanhã, com duelo na Colômbia entre Independiente Santa Fé e Emelec - próximo adversário do Flamengo, em partida marcada para o dia 14 de março, em Guayaquil.

Na escalação para o jogo desta quarta-feira, a principal dúvida no Flamengo era quanto ao lateral-direito, em disputa que Pará levou a melhor sobre Rodinei. Jonas, substituto de Cuéllar, suspenso, foi confirmado como volante, dando suporte a setor ofensivo formado por Éverton Ribeiro e Diego; Lucas Paquetá, Everton e Henrique Dourado.

No River, o lateral-esquerdo Ariel Rojas e o meia Gonzalo Martínez, machucados, ficaram foram assim como o também meia Ignacio Fernández, suspenso. Com isso, Marcelo Saracchi, Bruno Zuculini e Nicolás De La Cruz foram os respectivos substitutos.

Os primeiros momentos do duelo foram frios como o ambiente do Estádio Olímpico Nílton Santos. As duas equipes mostraram muita disposição, mas também certa dificuldade em encaixar ações ofensivas e levar perigo ao adversário.

O Fla tentou chegar aos 17, em escapada rápida pela esquerda, com Everton recebendo, disparando até a linha de fundo e cruzando, em direção a Henrique Dourado. O Ceifador subiu, mas não conseguiu cabecear firme e a bola foi facilmente defendida por Armani.

O centroavante, recém-contratado junto ao Fluminense, foi um verdadeiro gladiador aos 25, quando foi acionado na área, dominou de costas e venceu a marcação de três defensores, para depois bater firme para o gol, obrigando o goleiro do River a defender em dois tempos.

Aos 39, houve muita reclamação por parte dos jogadores do Flamengo, por um pênalti. Após cruzamento no segundo pau, Réver subiu junto com o volante Zuculini, que saltou com a mão levantada. O árbitro peruano Michael Espinoza, no entando, não viu falta na ação do argentino.

O River assustou o Flamengo aos 46, quando Mora cobrou falta da intermediária com muita força. Diego Alves saltou e espalmou para a frente, chegando a dar rebote, que não foi aproveitado pelo ataque do time argentino.

No segundo tempo, o Flamengo tentou mandar no jogo desde o apito inicial, mas não deixou de tomar calor nos contra-ataques do River. Aos 6, no entanto, Diego foi derrubado por Ponzio na área, e a arbitragem marcou pênalti. Henrique Dourado foi para a bola, deslocou Armani e estufou as redes.

Depois de abrir o placar aos 8, o time da Gávea mal teve tempo para comemorar, sofrendo o empate no minuto seguinte. Após cobrança de falta da esquerda, Mora subiu absolutamente sem marcação, se adiantou a saída de Diego Alves e testou para o gol.

Aos 16, o River ficou muito perto de virar o marcador, quando De la Cruz foi acionado no lado esquerdo da área, tocou na saída de Diego Alves, que conseguiu fazer a defesa. No rebote, Pérez caiu após dividida com Jonas e pediu pênalti, não marcado pela arbitragem.

Em momento de muita precisão no setor ofensivo, o Flamengo voltou a ficar na frente do placar aos 21. Lucas Paquetá recebeu na direita e fez passe na medida, encontrando Everton na área. O meia-atacante ajeitou no peito e emendou antes que a bola caísse no chão, vencendo Armani.

O terceiro gol rubro-negro ficou perto de sair aos 24, quando Paquetá acreditou em bola enfiada na linha de fundo, conseguiu jogar para o meio da área, onde Éverton Ribeiro chutou forte, parando em intervenção com o pé do goleiro do River.

Aos 38, o River esteve muito perto de buscar nova igualdade, quando Scocco, que havia acabado de entrar no lugar de Pérez, cabeceou e viu Réver cortar muito perto da linha. No rebote, Martínez Quarta testou livre, mas a bola saiu totalmente sem direção.

Outro jogador que veio do banco, o volante Mayada, que havia saído banco aos 23, entrando na vaga de Zuculini, acertou um belo chute da entrada da área aos 41, venceu Diego Alves e conseguiu igualar o marcador no Nílton Santos.



Ficha técnica:.

Flamengo: Diego Alves; Pará (Rodinei), Réver, Juan e Renê; Jonas (Rômulo), Éverton Ribeiro e Diego; Lucas Paquetá, Everton (William Arão) e Henrique Dourado. Técnico: Paulo César Carpegiani.

River Plate: Armani; Maidana, Martínez Cuarta e Saracchi; Pérez (Scocco), Ponzio, Zuculini (Mayada) e De la Cruz (Quintero); Pratto e Mora. Técnico: Marcelo Gallardo.

Árbitro: Michael Espinoza (Peru), auxiliado pelos compatriotas Jonny Bossio e Coty Carrera.

Gols: Henrique Dourado e Everton (Flamengo); Mora e Mayada (River Plate).

Cartões amarelos: Diego, Henrique Dourado, Everton e Réver (Flamengo); Maidana, Martínez Quarta e Zuculini (River Plate).

Estádio Olímpico Nilton Santos, no Rio de Janeiro.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte