Topo

Esporte

Sem Bruno Henrique, Santos encara Real Garcilaso e altitude pela Libertadores

28/02/2018 14h14

Lima, 28 fev (EFE).- O Santos iniciará sua 14ª participação na Taça Libertadores nesta quinta-feira na altitude de 3.400 metros da cidade de Cuzco, onde enfrentará o Real Garcilaso, pelo grupo 6, em jogo no qual não poderá contar com um de seus principais homens, o atacante Bruno Henrique.

O Peixe, que busca o tetracampeonato continental, vem fazendo um bom começo de ano e lidera sua chave no Campeonato Paulista com folga. A equipe do técnico Jair Ventura soma 17 pontos em nove rodadas, cinco a mais que o segundo colocado, o Botafogo de Ribeirão Preto.

Na Libertadores, o Alvinegro Praiano não deverá ter vida fácil. O Garcilaso é o adversário menos tradicional, já que os outros dois são Estudiantes e Nacional do Uruguai, que têm respectivamente quatro e três conquistas na Libertadores, mas conta com o ar rarefeito no Estádio Inca Garcilaso de la Vega a seu favor.

"Temos que estar atentos. Sabemos que o chute de fora da área parece que está na entrada da área por causa da força da altitude. São detalhes que estão no nosso conhecimento. Temos que superar tudo isso em busca de uma vitória na estreia", declarou Jair Ventura em entrevista coletiva.

O treinador do Santos tem o desfalque do atacante Bruno Henrique, que sofreu uma lesão na retina do olho direito e está afastado dos gramados há 40 dias. De toda forma, o camisa 11 tem de cumprir uma suspensão de cinco partidas por ter cuspir em um jogador do Barcelona de Guayaquil durante as quartas de final da Libertadores passada.

Outro problema no setor ofensivo é Gabigol, que levou uma pancada durante a vitória sobre o Santo André por 2 a 0 no último domingo, pelo Paulistão, e se tornou dúvida. Caso o atleta emprestado pela Inter de Milão não possa atuar, Arthur Gomes será titular.

Se o Peixe tem presença frequente na competição continental, o Garcilaso participa pela terceira vez. A melhor campanha foi a de estreia, em 2013, quando chegou às quartas de final. No ano seguinte, caiu na fase de grupos.

Dez anos antes, o técnico da equipe peruana, Óscar Ibáñez, foi campeão da Copa Sul-Americana de 2003 por outro time de Cuzco, o Cienciano, como goleiro. Na campanha, passou pelo Santos nas quartas de final.

Ibáñez, no entanto, não está prestigiado no cargo. Após ter sido vice-campeão peruano, o Garcilaso é apenas o sexto colocado do grupo B do Torneio de Verano, entre oito concorrentes, com apenas quatro pontos. A equipe vem de derrota para o Academia Cantolao, líder da chave.



Prováveis escalações:.

Real Garcilaso: Morales; Velásquez, Kontogiannis, Dulanto e Santillán; Valoyes, Álvarez, Tragodara e Landauri; Ramúa e Mayora. Técnico: Óscar Ibáñez.

Santos: Vanderlei; Daniel Guedes, Lucas Veríssimo, David Braz e Jean Mota; Alison, Renato e Vecchio; Eduardo Sasha, Copete e Gabigol (ou Arthur Gomes). Técnico: Jair Ventura.

Árbitro: Gery Vargas (Bolívia), auxiliado pelos compatriotas José Antelo e Juan Montaño.

Estádio Inca Garcilaso de la Vega, em Cuzco.

Mais Esporte