Topo

Esporte

Após eliminação, dono do PSG diz que não é momento para falar em mudanças

06/03/2018 20h01

Paris, 6 mar (EFE).- O proprietário do Paris Saint-Germain, Nasser Al-Khelaifi, negou ser o momento para uma caça às bruxas no clube após a eliminação nas oitavas de final da Liga dos Campeões, ocorrida nesta terça-feira com uma derrota para o Real Madrid por 2 a 1 no estádio Parc des Princes.

"Hoje não é o melhor momento para falar de mudanças. Acreditamos nos nossos jogadores", declarou o catariano, que garantiu acreditar no projeto iniciado em 2011 com a compra do clube e pelo qual o PSG comprou o atacante Neymar por 222 milhões de euros no ano passado.

Al-Khelaifi considerou que a expulsão do meia Marco Verratti, aos 21 minutos do segundo tempo, atrapalhou o time treinado por Unai Emery e considerou que os donos da casa foram melhores que o adversário. "Vamos continuar trabalhando. Hoje, estamos decepcionados por todos os nossos torcedores, que tanto nos apoiaram", disse.

Apesar da insatisfação da torcida e da pressão sobre o técnico Unai Emery, o volante Thiago Motta é da opinião de que o espanhol deve ser mantido no cargo.

"O nosso treinador está fazendo um grande trabalho, os resultados demonstram isso. Pensávamos em fazer uma coisa diferente, mas não foi possível. Tínhamos tudo, mas não conseguimos, e é preciso parabenizar o adversário porque passaram justamente", avaliou o brasileiro naturalizado italiano.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte