Topo

Esporte

No palco da final da Copa, Brasil vence Rússia com 3 gols no 2º tempo

23/03/2018 15h15

Moscou, 23 mar (EFE).- A seleção brasileira venceu nesta sexta-feira a Rússia por 3 a 0, com todos os gols marcados no segundo tempo, em visita ao estádio Luzhniki, em Moscou, que será o palco da partida de abertura da Copa do Mundo, em 14 de junho, e também o da final, em 15 de julho.

O zagueiro Miranda abriu o placar do duelo aos oito minutos da etapa complementar. Pouco depois, aos 17, o meia Philippe Coutinho ampliou em cobrança de pênalti. O volante Paulinho, artilheiro da seleção em 2017, com cinco gols, marcou o terceiro, aos 21.

Após fazer o "reconhecimento" do Luzhniki, a expectativa da seleção agora é retornar ao estádio apenas na decisão da Copa, caso chegue até lá como líder de seu grupo, o E. Existe também a possibilidade de antecipar o retorno para as semifinais, mas isso só aconteceria se os pentacampeões ficarem na segunda colocação da chave, que também conta com Suíça, Costa Rica e Sérvia.

Com o resultado de hoje, a seleção brasileira mantém a invencibilidade contra os anfitriões da próxima edição do Mundial. Ao todo, são quatro vitórias e dois empates. Considerando a extinta União Soviética, são seis vitórias brasileiras, um empate e uma derrota.

Na próxima terça-feira, os comandados por Tite enfrentarão a Alemanha, no Estádio Olímpico de Berlim. Este será o primeiro reencontro com os atuais campeões mundiais - considerando jogos das seleções principais - desde a fatídica goleada por 7 a 1, pelas semifinais da Copa de 2014, no Mineirão, em Belo Horizonte.

Para o jogo desta sexta-feira, a principal novidade na seleção brasileira foi a escalação de Douglas Costa no lugar de Neymar, que se recupera de fratura no pé direito. Além disso, Philippe Coutinho foi recuado para ocupar o lugar de Renato Augusto, e Willian foi mantido no 11 inicial. Já Thiago Silva substituiu o poupado Marquinhos.

A Rússia, por sua vez, pisou no gramado sem o atacante Aleksandr Kokorin, um dos destaques do elenco, que rompeu o ligamento cruzado do joelho direito, lesão que o deixará fora da Copa do Mundo. Assim, Aleksandr Golovin e Fyodor Smolov formaram a dupla ofensiva da seleção comandada pelo técnico e ex-goleiro Stanislav Cherchesov.

Logo aos 4 minutos, os pentacampeões mundiais levaram perigo pela primeira vez, quando Gabriel Jesus foi lançado por Daniel Alves, ganhou no corpo dos defensores e tocou de leve, parando em boa defesa do goleiro Akinfeev, que salvou com as pernas.

O ex-Palmeiras, atualmente no Manchester City, que se recuperou recentemente de grave lesão, deu susto aos 11, após levar um pisão e indicar ter sentido muitas dores no tornozelo direito. O camisa 9 precisou ser atendido, mas não demorou a voltar para o gramado.

O Brasil seguiu por mais tempo no campo de ataque, pressionando, tentando criar as melhores oportunidades. Aos 17, foram duas chegadas pelo alto, com Coutinho cruzando e Casemiro testando para defesa de Akinfeev. Marcelo, na sequência, levantou da esquerda e achou Gabriel Jesus, que cabeceou sem força, nas mãos do goleiro.

A seleção, embora já dando mais espaço ao adversário, seguiu mais perigosa. Aos 23, Coutinho brigou pela posse no meio, e bateu de longe, parando nas mãos do camisa 1 dos anfitriões da Copa. Pouco depois, aos 27, Willian foi acionado, ficou livre na área e bateu em cima de Akinfeev.

A primeira chegada da Rússia aconteceu em seguida, após cochilo. A bola chegou até os pés de Golovin, que arriscou da entrada da área, sem força, para a defesa de Alisson. Aos 32, Daniel Alves saiu errado, os anfitriões da Copa vieram forte, e Smolov recebeu e soltou uma bomba, que o goleiro brasileiro jogou para escanteio.

De novo pela direita, os russos chegaram aos 36, quando Aleksei Miranchuk serviu Smolov nas costas da defesa, e se movimentou para receber na frente e ficar cara a cara com o camisa 1 do Brasil. O meia do Lokomotiv Moscou, no entanto, acabou pegando mal na bola, batendo por cima do gol.

Na segunda etapa, logo no primeiro minuto, o Brasil teve seu melhor momento, quando Douglas Costa disparou em contra-ataque pela esquerda, inverteu para Willian, que só rolou para Paulinho aparecer livre. O volante bateu, mas parou em defesa de muito reflexo de Akinfeev. No rebote, Coutinho acabou chutrando por cima do gol.

Aos 7, em nova chegada, o goleiro fez uma defesa usando o rosto, quando Wilian bateu da entrada da área, a bola explodiu em Kudryashov e ia em direção as próprias redes.

A pressão surtiu efeito e, aos 8, a seleção brasileira conseguiu abrir o placar, quando Willian levantou na área, Thiago Silva ganhou no alto e cabeceou para mais uma intervenção de Akinfeev. Dessa vez, no entanto, o camisa 1 soltou nos pés de Miranda, que só escorou para as redes.

O segundo gol ficou muito perto de sair aos 14 minutos, quando Philippe Coutinho enfileirou a zaga da Rússia e bateu cruzado. A bola explodiu na perna de Paulinho e parou em defesa do goleiro, praticamente, no susto.

Pouco depois, o volante do Barcelona ficaria cara a cara com Akinfeev, mas acabou derrubado por Golovin. A cobrança de pênalti ficou a cargo com um dos mais recentes companheiros de time. Coutinho foi para a cobrança, bateu à direita do dono da meta dos anfitriões, que caiu no lado oposto.

Aos 20, enfim, Paulinho conseguiu balançar as redes, após seguidas oportunidades. O camisa 15 fez o terceiro, em cabeçada certeira, após grande jogada de Willian, que fez fila na defesa do adversário e cruzou na medida para o autor do gol.

Com a vantagem folgada, o Brasil deu espaço para a Rússia levar perigo duas vezes. Aos 24, Dzagoev, que havia subsituído um pouco antes a Aleksei Miranchuk, passou por dois marcadores e bateu para fora. No minuto seguinte, Kombarov arriscou da entrada da área e obrigou Alisson a trabalhar pela primeira vez no segundo tempo.

Os donos da casa assustaram mesmo, aos 31, quando Willian cortou mal, Dzagoev recuperou a posse e tentou encobrir Alisson. Thiago Silva salvou em cima da linha. A bola ainda bateu em Zabolotny - que entrou na vaga de Smolov -, mas Miranda afastou.

A partir daí, o jogo se tornou uma espera pelo apito final, com as duas seleções muito modificadas, já que os russos e brasileiros fizeram seis substituições cada. No Brasil, Daniel Alves, Miranda, Paulinho, Coutinho, Willian e Jesus dando lugar a Fagner, Geromel, Renato Augusto, Fred, Taison e Firmino, respectivamente.



Ficha técnica:.

Rússia: Akinfeev; Granat, Kudryashov e Kutepov; Zobnin (Erokhin), Glushakov (Anton Miranchuk), Samedov (Smolnikov), Aleksei Miranchuk (Dzagoev) e Kombarov (Zhirkov); Golovin e Smolov (Zabolotny). Técnico: Stanislav Cherchesov.

Brasil: Alisson; Daniel Alves (Fagner), Thiago Silva, Miranda (Geromel) e Marcelo; Casemiro, Paulinho (Renato Augusto) e Philippe Coutinho (Fred); Willian (Taison), Douglas Costa e Gabriel Jesus (Roberto Firmino). Técnico: Tite.

Árbitro: Aleksei Kulbakov (Belarus), auxiliado pelos compatriotas Dzmitry Zhuk e Aleh Maslianka.

Gols: Miranda, Philippe Coutinho e Paulinho (Brasil).

Estádio: Luzhniki, em Moscou (Rússia).

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte