Topo

Esporte

No 1º duelo após o 7 a 1, Brasil vence Alemanha na casa dos campeões mundiais

27/03/2018 18h04

Berlim, 27 mar (EFE).- No primeiro encontro com a Alemanha desde o trágico 7 a 1 nas semifinais da Copa do Mundo de 2014, o Brasil derrotou nesta terça-feira os atuais campeões mundiais por 1 a 0, em Berlim, e quebrou uma longa série invicta de 22 jogos do adversário, iniciada há quase dois anos.

Sem considerar a final do torneio olímpico de futebol, em 2016, com equipes sub-23, as duas seleções não duelavam desde 8 de julho de 2014, quando os alemães massacraram os então comandados por Felipão no Mineirão e carimbaram vaga para a final da Copa. Um novo encontro pode acontecer na Rússia, até mesmo nas oitavas de final caso haja surpresa, com um dos dois terminando como segundo colocado de sua respectiva chave. Se ambos confirmarem as expectativas e forem líderes, só duelariam em eventual final.

O único gol da partida de hoje foi marcado por Gabriel Jesus aos 37 minutos do primeiro tempo, após belo cruzamento do meia Willian e falha do goleiro Kevin Trapp, reserva do Paris Saint-Germain e que ainda disputa vaga no elenco que vai ao Mundial.

Este foi o último compromisso dos comandados de Tite antes da convocação final para a Copa do Mundo, que deverá acontecer no início de maio. Depois disso, antes do torneio, a seleção vai encarar Croácia e Áustria em amistosos, nos dias 3 e 10 de junho, respectivamente.

A Alemanha, por sua vez, viu o fim de uma sequência de 22 jogos de invencibilidade, iniciada com a derrota para a França por 2 a 0 nas semifinais da Eurocopa, em julho de 2016. Caso conseguisse saísse sem perder, igualaria a marca estabelecida entre 1978 e 1980, a maior da história dos tetracampeões.

Para o amistoso desta terça-feira, a novidade no Brasil foi a presença de Fernandinho no meio, fazendo com que Philippe Coutinho fosse avançado, e Douglas Costa acabasse no banco de reservas. Além do jogador do Manchester City, o lateral-esquerdo Marcelo, titular na goleada, foi outro titular do 7 a 1 a aparecer na escalação inicial.

Já Paulinho e Willian, que entraram no decorrer daquele duelo no Mineirão, apareceram na formação alinhada por Tite. Reserva há quase quatro anos, Daniel Alves hoje começou jogando, assim como Thiago Silva, que não encarou os alemães por estar suspenso.

Os atuais campeões, por sua vez, atuaram desfalcados do meia Mesut Özil e do atacante Thomas Müller, todos remanescentes da goleada e que foram liberados pelo técnico Joachim Löw. O zagueiro Jérôme Boateng e o meia Toni Kroos também estiveram no gramado em Belo Horizonte e foram escalados de início hoje.

Os zagueiros Mats Hummels e Matthias Ginter, e o volante Sami Khedira foram outros integrantes do elenco alemão no título da Copa do Mundo de 2014 relacionados para a partida de hoje em Berlim. A dupla, no entanto, começou o amistoso no banco de reservas.

O primeiro encontro depois da semifinal disputada no Mineirão começou muito equilibrado, com os brasileiros tentando manter o controle do jogo, e os anfitriões pressionando já na saída de bola. Aos 10, após briga intensa no meio, Coutinho cruzou e, por pouco, Paulinho não conseguiu chegar na cabeçada.

As duas seleções passaram a alternar ações ofensivas, mas de ambos os lados faltava efetividade, tanto é que, durante boa parte do primeiro tempo, os goleiros Trapp e Alisson pouco trabalharam. Aos 29, Gomez foi acionado na área, brigou com Thiago Silva e, na sobra, bateu por cima do gol.

A primeira boa chegada veio aos 35, quando Plattenhardt cruzou da esquerda, a bola cruzou toda a área, e Kimmich apareceu no segundo pau, para cabecear por cima do gol. No minuto seguinte, Gabriel Jesus foi acionado por Willian, cortou a marcação, mas acabou batendo por cima do travessão.

A insistência verde e amarela foi premiada aos 37, em contra-ataque fulminante. Willian recebeu na direita e cruzou para Gabriel Jesus, que testou livre, mas em cima de Trapp. O goleiro do Paris Saint-Germain se enrolou e espalmou fraco para dentro do gol. Fernandinho chegou a tocar, com a mão, mas a bola já havia entrado.

O segundo tempo teve ares de monotonia até os 10 minutos, quando a seleção brasileira criou uma bela trama ofensiva, em que Willian recebeu livre após corta-luz de Paulinho. O meia encheu o pé, mas a bola explodiu em Boateng. No rebote, o volante do Barcelona se livrou da marcação e bateu forte, parando na defesa de Trapp.

A 'blitz' dos pentacampeões mundiais seguiu intensa a partir daí, tanto é que, aos 12, em nova descida forte, Gabriel Jesus fez bem o pivô no lado esquerdo da área e ajeitou para Coutinho, que apareceu concluindo de bate-pronto, mas por cima do gol alemão.

Aos 23, Trapp falhou mais uma vez, saindo muito mal após escanteio da esquerda. Após corte no primeiro pau, a bola sobrou limpa para o camisa 9 da seleção brasileira, que, com a meta escancarada, acabou testando para fora.

Enquanto os alemães fizeram alterações desde a primeira metade da etapa complementar, Tite esperou até os 28 para realizar alteração, colocando Douglas Costa em campo, no lugar de Coutinho.

O clima de amistoso tomou conta, de vez, da partida. Enquanto a Alemanha tinha dificuldades para criar, o Brasil voltou a agredir aos 39, quando Paulinho bateu de longe, para defesa tranquila de Trapp. No minuto seguinte, Brandt, que havia substituído Goretzka, assustou, ao passar por dois marcadores e bater para fora.

A última chance de perigo no jogo - e a que mais trabalho deu para Alisson - aconteceu aos 46 minutos, quando Draxler, da entrada da área, mandou uma bomba que o goleiro brasileiro, bem posicionado, teve pouco trabalho para mandar a bola para escanteio.

Embora o placar não tenha lavado a alma da torcida e da própria seleção em relação ao fiasco em 2014, a vitória serviu para as pretensões de Tite de elevar o moral do elenco às vésperas da lista de convocados para a Copa do Mundo, que deve ser divulgada na primeira quinzena de maio.

Já para os alemães, a partida foi mais um choqueontra uma seleção de ponta e que deu oportunidade para novos testes do técnico Joachim Löw, que além de não ter contado com alguns de seus principais comandados, fez cinco substituições na partida, contra uma do Brasil.

Antes do Mundial da Rússia, a seleção brasileira entrará em campo para outros dois amistosos. No dia 3 de junho, enfrentará a Croácia na Inglaterra, em cidade a ser definida. No dia 10, o adversário será a Áustria, em Viena.



Ficha técnica:.

Alemanha: Trapp; Kimmich, Boateng (Süle), Rudiger e Plattenhardt; Gundogan (Werner), Kroos e Goretzka (Brandt); Draxler, Sané (Stindl) e Gomez (Sandro Wagner). Técnico: Joachim Löw.

Brasil: Alisson; Daniel Alves, Thiago Silva, Miranda e Marcelo; Casemiro, Fernandinho e Paulinho; Willian, Philippe Coutinho (Douglas Costa) e Gabriel Jesus. Técnico: Tite.

Árbitro: Jonas Eriksson (Suécia), auxiliado pelos compatriotas Mathias Klasenius e Daniel Wärnmark.

Gol: Gabriel Jesus (Brasil).

Estádio Olímpico de Berlim (Alemanha).

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte