Topo

Esporte

McGregor paga fiança e responderá em liberdade por ataque a ônibus do UFC

06/04/2018 22h13

Nova York, 6 abr (EFE).- O ex-campeão dos leves do UFC Conor McGregor foi liberado pela polícia de Nova York (EUA) nesta sexta-feira após passar a madrugada em uma delegacia e pagar uma fiança de US$ 50 mil estipulada por um tribunal do Brooklyn que o acusou formalmente de agressão e vandalismo.

Ontem, ao lado de vários membros de sua equipe, o lutador irlandês protagonizou um ataque a um ônibus que levava outros atletas do UFC. O alvo era Khabib Nurmagomedov, desafeto do também russo Artem Lobov, companheiro de treinos de McGregor. Os dois compatriotas haviam se desentendido na quarta-feira dentro do hotel em que estão hospedados para participar do UFC 223, que será realizado neste sábado.

"The Notorious", que não luta pela organização desde o fim de 2016 e em agosto do ano passado perdeu para Floyd Mayweather em um dos mais midiáticos combates de boxe dos últimos anos, foi flagrado por câmeras de segurança atacando o ônibus com os lutadores.

O irlandês e seus companheiros - incluindo Lobov - arremessou barras de ferro e vários outros objetos em direção ao veículo. Os lutadores Michael Chiesa e Ray Borg, que estavam no ônibus estacionado na garagem do Barclays Center, foram atingidos por estilhaços e acabaram impossibilitados de lutar amanhã, assim como Max Holloway, que faria a principal luta da noite, justamente contra Nurmagomedov e valendo o cinturão dos leves que pertencia a McGregor.

Hoje de manhã, o irlandês, de 29 anos, foi levado pela polícia ao tribunal no Brooklyn e recebeu três acusações por agressão e outra por vandalismo. O advogado do lutador, Jim Walden, pediu à juíza responsável pelo caso para que permitisse que McGregor ficasse com seu passaporte e pudesse viajar e "continuar com sua profissão", já que não havia risco de que não retornasse à corte no dia 14 de junho para uma nova audiência, na qual terá que responder às acusações.

"É o cara mais visível do planeta", argumentou Walden. "Não tem antecedentes penais", frisou.

De acordo com o defensor, McGregor também terá que se comunicar por telefone com as autoridades judiciais semanalmente para que conheçam seus planos de viagem e possam aprová-los.

Nesta semana, o irlandês, que não luta pelo UFC desde novembro de 2016, quando se sagrou campeão dos leves ao derrotar Eddie Alvarez, teve retirado pelo presidente da organização, Dana White, o cinturão que nunca defendeu.

Como Holloway acabou fora da disputa do cinturão, Khabib Nurmagomedov enfrentará Al Iaquinta neste sábado no evento principal do UFC 223.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte