Topo

Esporte

Palmeiras e Boca marcam no fim e empatam em 1 a 1 no Allianz Parque

11/04/2018 23h42

São Paulo, 11 abr (EFE).- Palmeiras e Boca Juniors fizeram um dos mais esperados jogos da fase de grupos da Taça Libertadores nesta quarta-feira, no Allianz Parque, em São Paulo, mas ficaram devendo e, graças a gols nos instantes finais, empataram em 1 a 1, resultado que mantém o time paulista na ponta isolada do grupo 8.

Depois de um primeiro tempo de poucas emoções, com partida mais truncada do que jogada, por parte das duas equipes, o Verdão chegou a pressionar na etapa complementar. Os anfitriões criram chances e abriram o placar aos 44, com Keno. Um minutos depois, no entanto, Carlos Tévez igualou.

O ex-Corinthians, que nunca havia perdido para o atual vice-campeão paulista, em quatro confrontos, garantindo o quinto jogo sem derrota, em duelo que saiu do banco, aos 24 do segundo tempo, já que se recuperou recentemente de contusão.

No dia 25 deste mês, o Palmeiras reencontrará o Boca, pela quarta rodada da chave, no estádio La Bombonera, em Buenos Aires. Com o empate de hoje, os comandados por Roger Machado chegaram aos sete pontos, dois a mais que os 'Xeneizes'.

Na terceira posição está o Alianza Lima, com um ponto, e em quarto, aparece o Junior Barranquilla, zerado na tabela. As duas equipes se enfrentarão na quinta-feira da próxima semana, na capital do Peru.

Para hoje, a grande novidade no Verdão foi a volta de Felipe Melo, que não atuou na final do Campeonato Paulista, por suspensão. O volante substituiu Moisés. Já o lateral-esquerdo Diogo Barbosa e o atacante Keno foram outras mudanças com relação ao segundo duelo com o Corinthians, nas vagas de Victor Luís e Willian, respectivamente.

No Boca, como era esperado, o atacante Carlos Tévez ficou no banco de reservas, já que se recuperou recentemente de lesão na panturrilha direita. Por outro lado, o volante uruguaio Nahitan Nández, suspenso por briga, justamente em jogo contra o Palmeiras, no ano passado, pela Libertadores, ficou fora do duelo.

O jogo começou com o Palmeiras tentando dominar as ações, enquanto o adversário se mostrava bem postado defensivamente. Aos 7, o time argentino, no entanto, foi o primeiro a assustar, quando Jara cruzou da direita, a bola passou por toda a extensão da área e, quase encontrou Ábila, que se esticou todo, mas não conseguiu tocar.

Com o passar da etapa inicial, o futebol ficou de lado, dando lugar as faltas e a catimba das duas equipes. Felipe Melo recebeu cartão amarelo ainda aos 12, por falta dura em Ábila. Dez minutos depois, Dudu caiu na área, após choque com Fabra, houve pedido de pênalti, que não foi marcado pelo árbitro uruguaio Andrés Cunha.

O jogo seguiu pobre de ideias durante grande parte dos primeiros 45 minutos. Perto do início do intervalo, Dudu recebeu na esquerda e acionou Lucas Lima no lado direito da área. O meia bateu colocado, mas a bola saiu fraca, à direita do gol defendido por Rossi.

A etapa complementar começou em ritmo mais intenso, principalmente, com o Palmeiras tentando ser mais agressivo. Aos 4 minutos, Dudu recebeu no lado canhoto da área, ajeitou e bateu cruzado, em bola que saiu com perigo, muito perto da trave esquerda.

Aos 12, Roger Machado fez a primeira mexida, lançando Willian no lugar de Borja. O Bigode, com apenas dois minutos em campo, arrancou, aos trancos e barrancos, fez fila na zaga, mas não conseguiu avançar. A bola rebateu na zaga e sobrou Bruno Henrique, que bateu mal, para fora.

A segunda alteração do Palmeiras veio aos 22, com Moisés entrando na vaga de Lucas Lima, que chegou a ser vaiado. Curiosamente, como aconteceu dez minutos antes, logo depois da substituição, o time criou chance, com bola trabalhada da esquerda para a direita, sobrando na área para Bruno Henrique, que bateu por cima.

Roger fez a última mexida aos 34, mas, dessa vez, o time paulista precisou de quatro minutos para chegar ao ataque, com Keno, que fez um carnaval na zaga do Boca, levou a bola até a linha de fundo e rolou para trás, onde Moisés e Willian quase se trombaram na tentativa de finalizar. O atacante acabou batendo para fora.

Diante de um adversário que dava pouco trabalho, os donos da casa seguiram dominando. Aos 44, Guerra se aproveitou de furada de Jara, arrancou pela esquerda e cruzou na medida para Keno, que, frente a frente com o goleiro, fuzilou para as redes.

A torcida já vibrava, à espera da vitória, mas, um minuto depois do gol alviverde, foi a vez de Pavón ficar com a bola após erro de Antônio Carlos e cruzar para a área, onde Tévez, que havia entrado no decorrer do segundo tempo e estava apagado até então, marcar.



Ficha técnica:.

Palmeiras: Jailson; Marcos Rocha, Antônio Carlos, Thiago Martins e Diogo Barbosa; Felipe Melo, Bruno Henrique (Guerra) e Lucas Lima (Moisés); Keno, Dudu e Borja (Willian). Técnico: Roger Machado.

Boca Juniors: Rossi; Jara, Goltz (Vergini), Magallán e Fabra; Barrios, Pérez e Reynoso; Cardona (Tévez), Pavón e Ábila. Técnico: Guillermo Barros Schelotto.

Árbitro: Andrés Cunha (Uruguai), auxiliado pelos compatriotas Nicolas Taran e Maurício Espinosa.

Gols: Keno (Palmeiras); e Tévez (Boca Juniors).

Cartões amarelos: Felipe Melo e Keno (Palmeiras); e Magallán (Boca Juniors).

Estádio: Allianz Parque, em São Paulo.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte