Topo

Esporte

Tóquio 2020 adota cautela sobre participação da Coreia do Norte

AP Photo/Shizuo Kambayashi
Yoshiro Mori, presidente do comitê olímpico Tóquio-2020, preferiu adotar um discurso cauteloso em relação aos norte-coreanos Imagem: AP Photo/Shizuo Kambayashi

24/04/2018 11h33

O presidente do Comitê Organizador de Tóquio 2020, Yoshiro Mori, foi cauteloso ao falar sobre a participação da Coreia do Norte nos próximos Jogos Olímpicos.

"Todos queremos a paz, mas já vimos esse cenário anteriormente e como as expectativas foram traídas", afirmou Mori durante uma entrevista conjunta com a organização de Tóquio 2020 e dirigentes do Comitê Olímpico Internacional (COI), na capital japonesa.

Mori se referia à histórica cúpula marcada sexta-feira para entre os líderes de Coreia do Norte e Coreia do Sul, o que não ocorre há 11 anos. Sobre a reunião, o dirigente japonês disse esperar que os "esforços não sejam em vão".

O presidente do COI, Thomas Bach, se reuniu com o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, há quase um mês. No encontro, Kim expressou a Bach o desejo do país de participar dos Jogos Olímpicos em 2020.

Apesar da distensão nas tensões na região, os organizadores de Tóquio 2020 preferiram não antecipar se permitirão que o país vizinho participe dos Jogos, mas fizeram questão de lembrar alguns pontos de confronto recentes entre os dois países.

"Vivemos sob a ameaça das armas nucleares e também vimos como cidadãos japoneses foram sequestrados pela Coreia do Norte. Ninguém pode gostar disso", concluiu Mori.

O presidente da Comissão de Coordenação do COI para os Jogos Olímpicos de Tóquio, John Coates, mostrou mais otimismo sobre a situação na península coreana e destacou o papel que o esporte teve na aproximação entre os governos dos dois países.

Coates lembrou a importância do desfile conjunto das delegações das duas Coreias nos Jogos de Inverno de PyeongChang neste ano, na Coreia do Sul, e da formação de uma equipe conjunta de hóquei sobre o gelo para disputar o torneio olímpico da modalidade.

"Estamos dispostos a fazer com que o esporte seja disponível para a Coreia do Norte, embora a política do COI seja neutra", disse.

"Pessoalmente, entendo os japoneses quanto aos cidadãos que foram sequestrados e a questão nuclear", explicou Coates.

Os representantes do COI voltarão a se reunir com os organizadores de Tóquio 2020 em julho para continuar acompanhando os preparativos do evento.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte