Topo

Esporte


Cristiano Ronaldo e Salah: a ambição e o desejo

25/05/2018 17h52

Santiago Aparicio.

Madri, 25 mai (EFE).- Cristiano Ronaldo e Mohamed Salah entrarão no Estádio Olímpico de Kiev neste sábado como peças fundamentais dos seus clubes na tentativa de conquistar o título da Liga dos Campeões deste ano.

Liverpool e Real Madrid querem abrilhantar suas histórias com a vitória na Ucrânia. Mas o desafio individual, no entanto, será entre os craques português e egípcio, com suas respectivas trajetórias e suas reputações conquistadas ao longo da temporada.

Kiev terá o desafio entre a ambição ilimitada de Cristiano Ronaldo e o anseio pelo reconhecimento perseguido por Salah, o jogador do momento, que vem colecionando méritos e elogios.

O atacante egípcio, de 25 anos, busca seu lugar no espaço dominado por Cristiano e Lionel Messi. Sua carreira no futebol começou movimentada: aos 14 anos, assinou o primeiro contrato profissional com o Al-Mokawloon, da primeira divisão do Egito, onde era lateral-esquerdo, até marcar um gol e falhar em cinco durante uma das partidas, o que fez o técnico mudar de ideia sobre sua posição.

Aos 20 anos, Salah decidiu tentar a sorte na Europa e foi jogar pelo Basel, na Suíça, onde permaneceu por duas temporadas até despertar o interesse do Chelsea. Com José Mourinho como técnico, ele ficou no clube inglês por um ano e meio e, depois, completou a segunda temporada emprestado à Fiorentina. No ano seguinte, foi cedido novamente pelo Chelsea, mas, desta vez, à Roma, onde se destacou e permaneceu por dois anos.

O bom rendimento na Itália não passou despercebido pelo Liverpool, que decidiu pagar 42 milhões de euros no meio do ano passado para ter o atacante egípcio. Hoje, seu valor se multiplicou. Salah é um sério candidato à próxima Bola de Ouro, junto com Messi e Cristiano Ronaldo.

E os números confirmam as apostas: na pior das hipóteses, se não conseguir marcar na decisão em Kiev, o atacante do Liverpool encerrará a temporada com 44 gols em 51 jogos. Só no Campeonato Inglês, ele marcou 32 vezes em 36 partidas disputadas, além de ter se tornado o artilheiro da competição e ter sido eleito o melhor jogador da temporada inglesa. Pela Liga dos Campeões, o egípcio é o segundo melhor marcador, com dez gols, atrás apenas de Cristiano, que chega à final com 15.

Apenas Messi separou Salah da Chuteira de Ouro, prêmio dado ao maior artilheiro da temporada nas ligas europeias. O argentino marcou 34 vezes pelo Campeonato Espanhol, enquanto o atacante egípcio fez 32 gols no Inglês.

A temporada de explosão de Salah coincide com o prolongamento da excelência de Cristiano Ronaldo. Aos 32 anos, longe de qualquer queda de rendimento, o jogador da Ilha da Madeira estende seu domínio no Olimpo do futebol junto com Messi.

Convencido da necessidade de adaptação ao campo e da dosagem de esforços, o atacante do Real chega ao fim da temporada com 44 gols pela equipe espanhola, mesmo número de Salah pelo Liverpool, mas em 43 partidas, oito a menos que o adversário.

O astro português é o único jogador, até agora, que marcou em todos os jogos de uma fase de grupos. E, com exceção da semifinal contra o Bayern de Munique, marcou em quase todos os jogos da 'Champions'.

Cristiano Ronaldo representa a consolidação e a insistência no topo contra a invasão, entusiasmo e inovação que o atacante egípcio traz para os novos tempos.

Para o craque português, Kiev também será um desafio: ele pode conquistar sua quinta taça da Liga dos Campeões, a terceira consecutiva com o Real Madrid. O atacante já comemorou o título uma vez pelo Manchester United (2007-2008), e três com a equipe espanhola (2013-2014, 2015-2016, 2016-2017).

Além disso, o camisa 7 pode igualar seu próprio recorde de 17 gols em Liga dos Campeões na final deste sábado. Para isso, precisa marcar duas vezes no Estádio Olímpico de Kiev.

Mais Esporte