Topo

Esporte

Dadá Maravilha considera Tite "o Pelé dos técnicos"

26/05/2018 22h18

Carlos A. Moreno.

Teresópolis (Brasil), 26 mai (EFE).- O ex-jogador Dario José dos Santos, mas conhecido como "Dadá Maravilha", campeão mundial com o Brasil na Copa do México em 1970, considera que o técnico Tite, pelo que fez pela seleção brasileira, pode ser considerado "o Pelé dos técnicos".

"O Brasil não estava bem e estava ameaçado de não se classificar para a Copa, mas Tite chegou e pôs ordem na equipe. Desde que Tite assumiu, o Brasil começou a jogar um futebol que nos permite sonhar em ser novamente campeões", disse em entrevista à Agência Efe o famoso quarto maior goleador na história do Brasil (926 gols), atrás apenas de Pelé (1.284), Arthur Friedenreich (1.239) e Romário (1.002).

Dadá, atualmente comentarista da Rádio Alterosa durante os seis dias em que o Brasil esteve concentrado na cidade de Teresópolis para se preparar para a Copa de 2018, também não escondeu que na sua opinião a grande favorita ao título na Rússia é a Alemanha.

Segundo o ainda hoje ídolo do Atlético Mineiro, Tite não só tem um dom para o futebol, mas também habilidades na oratória e em psicologia para tirar o melhor de seus comandados.

Antes de Adenor Leonardo Bachi, mais conhecido como Tite, assumir como técnico, o Brasil estava desacreditado após a goleada por 7 a 1 que sofreu da Alemanha na semifinal do Mundial de 2014, a eliminação precoce na Copa América de 2015 e na Copa América Centenário de 2016 e os maus resultados nas eliminatórias para a Copa da Rússia.

"Pela minha experiência, posso dizer que Tite tocou no ego de cada um dos jogadores e lhes disse: vocês jogam mais do que estão mostrando, eu confio em vocês e vocês são astros", afirmou Dadá.

Esse trabalho psicológico, acrescentou, permitiu que Tite "aliviasse o coração de cada um dos jogadores que já vinham se acostumando a serem chamados de ruins e decadentes".

"Tite para mim é o Pelé dos técnicos", acrescentou o ex-jogador também famoso como autor de frases famosas.

Sob o comando de Tite, o Brasil tem a impressionante marca de 15 vitórias, três empates e uma derrota (em um amistoso contra a Argentina) e apenas cinco gols sofridos em 19 jogos.

"Tite colocou os jogadores no seu devido lugar e sua produção aumentou asustadoramente, ao ponto dos brasileiros estarem entusiasmados com a seleção, apesar daquela fatídica derrota por 7 a 1 para a Alemanha", acrescentou Dadá, que se diz recordista mundial como autor de dez gols em uma mesma partida oficial.

Segundo o ex-jogador, apesar do pessimismo que existia e das dúvidas, após a chegada de Tite muitos começam a dizer que o Brasil tem condições de conquistar seu sexto título mundial na Rússia.

Dadá, no entanto, não está tão confiante. "Para mim, a favorita absoluta para ganhar o Mundial é a Alemanha; depois vem o Brasil e muito perto a Argentina", afirmou.

E explica: "A Alemanha é favorita porque, analisando-o friamente, tem um futebol de campeão, um futebol sem muito enfeite nem muita beleza, mas com muita profundidade e produção".

"Mas isso não impede que o Brasil entre no caminho do favorito e termine como campeão. Embora, se eu tivesse que apostar meu suado dinheiro, apostaria na Alemanha", comentou o ex-jogador.

Dadá Maravilha considera que o único astro da seleção brasileira é Neymar, que esteve três meses se recuperando de uma lesão que ainda representa uma ameaça.

"Estou rezando por Neymar, porque ele já demonstrou que é um monstro para jogar futebol, um astro excepcional, mas sua lesão é em um lugar muito fácil de ser atingido. Em qualquer jogada, qualquer um pode pisá-la sem sequer ser falta. Não sei, porque não sou médico, da gravidade dessa lesão, mas tenho certeza que se pisam no seu pé, a coisa pode ficar feia", afirmou Dadá.

"Eu o vi correndo e chutando, e por isso não me parece que esteja com medo de se machucar de novo. Ele poderá jogar tudo o que sabe, mas o vão perseguir em campo e receberá muitos pontapés. Pode evitar três, quatro ou cinco, mas evitar 50 vai ser difícil", comentou Dadá.

Para o ex-jogador, a atual seleção não é expoente do futebol arte do Brasil em décadas passadas porque tem apenas Neymar como astro. "Atualmente o único fora de série é Neymar. Espero ter de engolir as palavras depois, mas, entre os outros, há alguns bons e de confiança mas não astros", afirmou.

Mas isso, na sua opinião, não é um problema. "Infelizmente o futebol é vitória. Se voce é campeão, é bom. Se não é campeão, vai er ser criticado. O que contam são os títulos", concluiu Dadá.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte